Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoquices da semana: PGR processa jornais independentes; Oferta de bafómetros pelas CDM à…

Xiconhoquices da semana: Funcionários públicos obrigados a participar na campanha eleitoral; Falta..

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

PGR processa jornais independentes

Era o que faltava! Não é que a Procuradoria-Geral da República (PGR) deixou de se ocupar de coisas úteis, tal como processar os criminosos que circulam impávidos e serenos pelas ruas do país, para instruir um processo-crime contra o professor Carlos Nuno Castel-Branco, por ter escrito e publicado um artigo de opinião crítico ao Chefe de Estado, Armando Guebuza. Com o número 53/13-B, o processo corre na Procuradoria da Cidade de Maputo e serão ouvidos ainda os jornais Canal de Moçambique e media- FAX, que reproduziram a opinião.

A ordem saiu, obviamente, do Procurador-Geral da República, Augusto Paulino, que, nos últimos tempos, se tem revelado um bom menino de recados nos seus informes sobre o estado da Justiça em Moçambique. Além disso, o PGR está a tornar-se especialista em xiconhoquices. No entender dos nossos leitores, o juiz Paulino devia procurar algo para fazer com vista a melhorar a já chamuscada imagem da nossa Justiça, ao invés de se esforçar de forma hercúlea, num exercício vergonhoso, para “ajeitar a gravata” do Presidente da República.

Oferta de bafómetros pelas CDM à Polícia

A atitude da empresa Cervejas de Moçambique (CDM) é o cúmulo do cinismo. Na verdade, nunca antes se vira tamanha xiconhoquice como a que se presenciou nesta semana, quando a CDM ofereceu, em Maputo, um total de 1.680 boquilhas e 30 bafómetros, à Polícia da República de Moçambique (PRM), para serem utilizados pelos agentes da Polícia de Trânsito na verificação dos níveis de alcoolemia nos automobilistas.

Com a iniciativa que, segundo a empresa, se enquadra nas acções de responsabilidade social, a cervejeira nacional diz que se junta aos esforços da corporação policial, visando desincentivar a condução de veículos sob o efeito de bebidas alcoólicas, contribuindo, deste modo, para a redução do elevado nível de sinistralidade que grassa nas estradas do país, particularmente durante a quadra festiva. É no mínimo estranho o comportamento da CDM assim como da Polícia por receber a doação, sabendo que uma entidade de defesa da ordem pública nunca deve receber instrumentos de trabalho seja de quem for, a não ser do Estado. Comentários para quê?

Recrutamento compulsivo na Beira

Há com cada xiconhoquice! O recrutamento compulsivo de jovens na cidade da Beira é um deles. Depois da agitação a que se assistiu naquela urbe no final do mês passado devido ao recrutamento protagonizado pelas Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) e outros agentes militares, alegadamente para serem incorporados nas fileiras do Exército moçambicano, dois indivíduos foram detidos na cidade de Dondo, província de Sofala. Porém, os indiciados de recrutamento compulsivo afirmaram que perpetraram o acto em nome do Movimento Democrático de Moçambique (MDM).

Porém, o MDM, através do seu porta-voz, Sande Carmona, negou qualquer relacionamento com os dois jovens detidos no comando da Polícia no município de Dondo. Aquela força política considera que as três supostas vítimas do recrutamento compulsivo no bairro Canhandula, em Dondo, perpetuado alegadamente, de acordo com o depoimento das três, por elementos que se apresentaram como membros do MDM, foram instrumentalizadas por alguém de má-fé e com o objectivo de denegrir a imagem do partido.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!