Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoquices da semana: HCM sem energia; Repetição das eleições em Gurúè; Execução de supostos raptores

Xiconhoquices da semana: Falta de acção disciplinar cvontra funcionários públicos corruptos; CNE...

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Hospital Central sem energia

Não há dúvidas de que os acontecimentos que se registam no nosso país são fruto de uma monumental negligência. Além de os hospitais públicos estarem desprovidos de medicamentos para o tratamento de doenças de natureza diversa, eis que quase todos os hospitais centrais de Maputo, Beira e Nampula registaram apagões de corrente eléctrica e os doentes ficam à deriva.

Por exemplo, em Nampula, o atendimento aos pacientes que procuravam cuidados médicos esteve condicionado durante o passado dia 22, devido à falta de energia eléctrica, o que, segundo a direcção daquela unidade sanitária, se deveu à montagem de um novo gerador. Por seu turno, os enfermeiros aconselhavam os pacientes a dirigirem-se aos postos de saúde próximos às suas residências ou a clínicas privadas. E os desprovidos de meios financeiros e que se encontravam internados como é que se arranjaram?

Não tardou que a mesma situação fosse registada na maior unidade sanitária da região centro. Quando houve corte, os doentes que respiravam com a ajuda das máquinas foram deixados à sua sorte. O mesmo se verificou no Hospital Central de Maputo.

Repetição das eleições em Gurúè

Parece que andamos a brincar às eleições no país. Depois de um processo eleitoral em que ficou clara a vitória do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) no município de Gurúè, o Conselho Constitucional (CC) anulou o escrutínio, alegando ter constatado graves irregularidades no processo.

O Governo marcou para dia 08 de Fevereiro a repetição das eleições autárquicas no município de Gurúè, na província da Zambézia. A decisão mereceu um debate aceso e, posteriormente, aprovação pelo Conselho de Ministros. O porta-voz do Executivo, Alberto Nkutumula, esclareceu, na altura, que antes da data da votação está previsto um período de três dias, nos quais os órgãos gestores do escrutínio deverão realizar uma campanha de educação cívica.

Nos três dias posteriores realizar-se-á a campanha eleitoral dos candidatos Janguir Hussen Jussub, da Frelimo, e Orlando Janeiro António, do MDM. Além do edil, a votação destina-se à eleição dos membros da Assembleia Municipal que deverão ocupar os 21 assentos naquele órgão. Segundo o calendário aprovado pelo Governo, o dia 7 de Fevereiro ficará reservado à reflexão dos eleitores.

Execução de supostos raptores no bairro do Triunfo

Dois supostos membros de uma quadrilha de sequestradores, que se faziam transportar numa viatura de marca Toyota Altezza, foram baleados mortalmente, no bairro Triunfo, na cidade de Maputo. Segundo o porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) a nível da cidade de Maputo, a corporação recebeu uma denúncia que dava conta do rapto de um empresário naquela zona, tendo de seguida mandado para o local uma equipa para fazer averiguações.

Já no local, os agentes que compunham a equipa, em número de quatro, segundo testemunhas, aperceberam-se da presença de duas viaturas com diversos homens no seu interior, incluindo o empresário ora raptado. Apercebendo-se da presença da polícia, à paisana, os meliantes ter-se-iam colocado em fuga, abandonando a vítima no local, tendo dois deles sido baleados mortalmente.

Porém, há informações que dão conta de que não foram os membros da corporação que abateram os supostos criminosos, porque no local não foram vistos agentes da PRM por populares. Testemunhas afirmaram que as pessoas que atiraram à queima-roupa contra o carro dos sequestradores estavam disfarçadas e mascaradas. Na verdade, a situação não passou de uma estratégia falhada da Polícia de mostrar serviço no tocante a raptos.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!