Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhocas da semana: Tomás Salomão; Calisto Cossa; A. Cossa

Xiconhocas da semana: Lizha James; Atanásio M’Tumuke; Standard Bank

Os nossos leitores elegeram os seguintes Xiconhocas na semana finda:

Tomás Salomão

Enquanto ao povo é passado o atestado de estupidez, com encenações de detenção de cidadãos que terão beneficiado ilicitamente dos empréstimos ilegais, há Xiconhocas ligados ao partido Frelimo insistindo que é imperativo que as dívidas sejam pagas por todos. Um desses Xiconhocas até à médula é o antigo governante, banqueiro e membro da comissão política da Frelimo, Tomás Salomão. Só um indivíduo que leva uma vida principesca à custa do sofrimento do povo é capaz de dizer tamanha estupidez.

Calisto Cossa

Calisto Moisés Cossa é, sem sombras de dúvidas, um Xiconhoca. Além de ter sido reeleito num processo fraudulento, o sujeito decidiu hipotecar o agora mais populoso Município de Moçambique ao BCI, pelo menos até 2025, com uma dívida de 1,4 bilião de meticais e que custa anualmente 70 por cento das receitas para a construção da futura sede da Autarquia. Definitivamente, o bom-senso precisa-se na Matola.

A. Cossa

Há indivíduos que merecem pena capital. É caso da cidadã identifica por A. Cossa. A Xiconhoca, de 32 anos de idade, está detida, na capital moçambicana, por aliciar e reunir adolescentes de 16 anos de idade na sua residência para a prostituição. Para concretizar os seus objectivos, a jovem drogava as vítimas. Uma das crianças resgatadas na casa da acusada confirmou ter sido forçada a manter relações sexuais com dois homens, os quais pagaram cada um 300 meticais.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!