Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoquices da semana: Exibições da Liga e do Ferroviário de Maputo nas Afrotaças; Detenção de activistas; Cobrar mais impostos ao povo do que às grandes empresas

Xiconhoquices da semana: Novo Regulamento de Transporte em Veículos Automóveis; Passaporte falso de Nini sem falsificadores; Campanha eleitoral da Frelimo

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Exibições da Liga e do Ferroviário de Maputo nas Afrotaças

Definitavemente, o nosso futebol é uma vergonha de proporções gigantescas. Prova disso é o fraco desempenho mostrado pelas equipas moçambicanas nas competições africanas de clubes. A título de exemplo, a Liga Desportiva de Maputo e o Ferroviário de Maputo, depois de perderem pela margem mínima na casa dos seus adversários, não “mandaram em casa” e estão fora das competições africanas de clubes. Pelo terceiro ano consecutivo as equipas moçambicanas são eliminadas nas primeiras eliminatórias que disputam nas afrotaças mostrando o fraco nível do futebol que é praticado no nosso país. Diante dessa situação lamentável para o nosso desporto e uma nódoa para imagem do nosso país, é chegada a hora de se repensar o futebol, sobretudo a participação de Moçambique em competições internacionais. Está claro que somos medíocres e nunca iremos para além da primeira eliminatória. É uma vergonha!

Detenção de activistas

Não há dúvidas que este país está a caminho de se tornar uma “suave Angola”, onde os cidadãos são presos sem nenhuma causa palpável, o facto de só respirar já é motivo para ser detido. Na semana passada, um grupo de mulheres, que inclui uma espanhola e uma brasileira, foi detido na 7.ª Esquadra de Maputo, depois de tentar apresentar uma peça teatral nas imediações da Escola Secundária Francisco Manyanga para repudiar a directiva aplicada por algumas escolas que veda o uso de minissaias, considerando esse tipo de veste responsável pelo assédio nas instituições do ensino em Moçambique. Segundo a Polícia da República de Moçambique, aquelas cidadãs foram detidas por não pediram autorização para se manifestar. Desde quando a manifestação carece de autorização? Enfim, só em Moçambique!

Cobrar mais impostos ao povo do que às grandes empresas

“Estamos entregues à bicharada!”, é o que se pode dizer diante da tamanha falta de escrúpulos que caracteriza o Governo da Frelimo. No cúmulo da sua insensibilidade, o Governo pretende que o povo pague impostos e para isso a Autoridade Tributária tem na forja uma operação massiva de fiscalização das pequenas e médias empresas, com vista a forçá-las a cumprirem o código do Imposto sobre o Valor Acrescentado(IVA), em vez de acabar isenções que beneficiam as grandes empresas, particularmente aquelas que exploram os nossos recursos naturais em parcerias com os outrora libertadores. É altura dos moçambicanos revoltarem-se contra esse tipo de situação que só prejudica o povo, enquanto os ditos libertadores da pátria vão acumulado riquezas.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!