Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhocas da semana: Adolescente que matou o filho; Mambas; Maquilhadores do relatório sobre Direitos Humanos

Xiconhocas da semana: Lizha James; Atanásio M’Tumuke; Standard Bank

Os nossos leitores elegeram os seguintes Xiconhocas na semana finda:

Adolescente que matou o filho

Há atitudes que revelam sérios problemas mentais cuja solução não deve ser necessariamente a prisão, mas sim um hosptial psiquiátrico. A adolescente, de 16 anos de idade, que matou o seu próprio filho na cidade de Nampula é exemplo disso. A rapariga, que se tornou mãe precocemente, para além de asfixiar, extraiu os órgãos genitais do menor, alegadamente porque este chorava muito. Consumado o crime, ela foi depositar o cadáver numa lixeira localizada na mesma zona onde se deu o acto. Como se não bastasse, a Xiconhoca foi a uma unidade policial denunciar o desaparecimento do filho.

Mambas

A selecção moçambicana de futebol, os “Mambas”, é a nossa maior vergonha. Na verdade, assistir a um jogo dos Mambas é submeter-se a um exercício sofrível, uma vez que o resultado é sempre o mesmo: derrota. No passado dia 17 de Outubro, a equipa de todos nós perdeu por três bolas a zero diante da Zâmbia, em partida da 1ª mão da 2ª eliminatória de acesso à fase final do Campeonato Africano para jogadores que actuam nos campeonatos internos (CHAN) que vai ser disputado no próximo ano no Ruanda. Na verdade, este resultado não deveria surpreender a ninguém.

Maquilhadores do relatório sobre Direitos Humanos

O Governo moçambicano parece adorar passar um atestado de estúpido ao povo. Desta vez, o Executivo está a “maquilhar” um relatório sobre os direitos humanos em Moçambique para ser apresentado ao Mecanismo de Revisão Periódica Universal do Conselho dos Direitos Humanos, na Assembleia Geral das Nações Unidas, em Genebra, em 2016. O documento, que está a ser preparado – em atraso – pelo Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos omite deliberadamente situações ou casos registados de clara violação dos direitos dos cidadãos moçambicanos.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!