Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhocas da semana: Juiz Moisés Nhamene; Abel Xavier; Frelimo

Xiconhocas da semana: Lizha James; Atanásio M’Tumuke; Standard Bank

Os nossos leitores elegeram os seguintes Xiconhocas na semana finda:

Juiz Moisés Nhamene

Há indivíduos que não honram o título que ostentam, pela tamanha falta de bom senso que cometem. É o caso do juiz Moisés Nhamene que, por alguma carga de água restituiu à liberdade a um funcionário público, de nome José Pereira, que abusou sexualmente de uma criança de apenas 11 de idade, a qual acabou grávida. O mais caricato é que este Xiconhoca ordenou a soltura sem o conhecimento da Procuradoria Provincial de Nampula.

Abel Xavier

O seleccionador do “Mambas”, Abel Xavier, é sem dúvidas o maior Xiconhoca do ano. O sujeito, que nem sequer se dignou a sala de imprensa após a derrota em Windhoek, defendeu o seu “tacho” de seleccionador de futebol de Moçambique culpando os árbitros, pela derrota averbada. O Xiconhoca até sugeriu a existência de uma conspiração continental contra os “Mambas”, que nos últimos 3 jogos do Grupo K somaram apenas 1 ponto e estão quase eliminados da fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN) de 2019. Xiconhoca!

Frelimo

Definitivamente, o partido Frelimo perdeu a vergonha e de forma descarada e sem nenhum escrúpulo continua com as suas habituais tácticas para roubar votos. Nas últimas eleições autárquicas, o partido , com a habitual ajuda da Comissão Nacional de Eleições (CNE) e o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE, manchou o processo com as desusas tácticas de reviravoltas. O pior de tudo é que nessas manobras para adulterar os resultados cometeram erros matemáticos de abradar aos céus.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!