Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoca da semana: Polícias sul-africanos; João Namburete; Bhakir

Os leitores do @Verdade nomearam esta semana os seguintes Xiconhocas:

1. Polícias sul-africanos

Os nossos leitores apontaram e não podemos passar ao largo. Os Xiconhocas da semana vestem a farda da polícia sul-africana e foram responsáveis pela morte macabra de um moçambicano indefeso. Quem despreza de forma tão profunda o valor da vida do próximo não pode merecer um lugar ao lado do seu semelhante.

O que precisam estes Xiconhocas não é de cadeia, mas de compreenderem que o mundo não é um lugar para actos de tamanho ódio. Infelizmente, temos de colocar esta espécie na lista de Xiconhocas e com muito pesar. Os Xiconhocas que nos perdoem por semelhante companhia…

2. João Namburete

O Xiconhoca por natureza e vocação adora viver do suor de terceiros. O inspector das Obras Públicas em Inhambane é disso o exemplo mais flagrante. A reabilitação da sua residência vai custar aos cofres do Estado a módica quantia de 2.181.927,92 meticais.

Num país normal e onde essa espécie de Xiconhocas já foi erradicada, episódios deste jaez geram polémica e desprezo profundo na opinião pública. Aqui, neste rochedo à beira-mar, onde a corrupção foi institucionalizada, tal procedimento é uma demonstração de se ter passado com distinção nas provas férreas da escola de sacanagem dos donos do país.

3. Bhakir

Os nossos leitores votaram em Bhakir como o Xiconhoca da semana e pelo facto de ser apontado como a cérebro do fenómeno dos raptos que a nossa polícia não conseguiu conter. É aceitável e não temos dúvidas de que ganhar dinheiro por via da burla, chantagem e assassinatos é característica primordial de um Xiconhoca.

Nesse capítulo o homem preenche os requisitos para tão prestigioso galardão. Contudo, importa referir que os que permitiram a sua fuga são feitos da mesma massa. São Xiconhocas quanto baste.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!