Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Walcott, McCarthy e Koné: os cortes de última hora do Mundial

Os avançados : inglês Theo Walcott, sul-africano Benni McCarthy e marfinense Bakari Koné foram as principais vítimas das listas definitivas de 23 jogadores para o Mundial de 2010.

Walcott vive uma história paradoxal com o Mundial : ele havia sido convocado para a edição anterior na Alemanha, aos 17 anos e sem uma partida profissional no currículo, e desta vez foi descartado depois de ter participado da campanha das eliminatórias (6 partidas e três gols contra a Croácia) e de ter sido titular em duas partidas preparatórias. O treinador Fabio Capello, que preferiu Aaron Lennon e Shaun Wright-Phillips no lado direito, também barrou Darren Bent, jogador que marcou 24 golos na Premier League com o Sunderland, tornando-se o segundo avançado inglês com melhor aproveitamento atrás de Wayne Rooney.

No país organizador, o treinador Carlos Alberto Parreira tomou uma decisão muito difícil, sacrificando McCarthy. O avançado de 32 anos, muitas vezes criticado por seus quilos a mais (“Fatcarthy”), teve uma temporada apagada no Blackburn e depois no West Ham, durante a qual machucou o joelho. Ele disputou apenas um dos quatro jogos amistosos em maio, e sua relação com a seleção nunca foi das melhores.

McCarthy é o maior avançado da história dos Bafana Bafana (32 golos). “Não vou me alongar sobre os cinco jogadores que não foram convocados”, disse Parreira. “Coloquei fim a seus sonhos, mas não é o fim da história para eles. Terão outras oportunidades de jogar na seleção”, concluiu.

Para McCarthy, este parece não ser o caso. Outra surpresa, o corte de Koné da lista marfinense. “Minha equipe e eu analisamos as partidas da CAN-2010 em Angola e supervisionamos um certo número de jogadores nos clubes”, comentou o novo treinador, Sven Göran Eriksson.

“Mas, para ser mais objectivo, pré-selecionei 30 jogadores para analisá-los durante o estágio de preparação para tomar a decisão final”. É verdade que Koné, raramente titular no Olympique de Marselha, não jogava pela seleção há alguns meses. Ele sofreu a forte concorrência no ataque dos Elefantes (Drogba, Kalou, Keita, Gervinho, Dindane), além da eclosão do jovem Seydou Doumbia, artilheiro do Campeonato Suíço com os Young Boys (30 gols).

O italiano Marco Borriello também foi cortado na última hora. Nesse caso, a concorrência na posição também pesou: o avançado, autor de 14 golos na Série A pelo Milan, foi superado por Giampaolo Pazzini (Sampdoria, 19 gols).

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!