Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Veterano jornalista detido por ter apelado a demissão do Presidente do Sudão do Sul

O veterano jornalista Alfred Taban está detido desde domingo por ter apelado ao Presidente sul-sudanês, Salva Kiir, e ao seu primeiro Vice-Presidente, Riek Machar, para se demitir como forma de ajudar a encontrar uma saída ao conflito no seu país, revela esta segunda-feira um diário sudanês.

Segundo o jornal Al Tayar, que cita um membro da sua família, Taba foi detido depois de visitar os serviços de segurança em Juba, a seguir a uma chamada telefónica, convocando-o diante das autoridades ao mesmo tempo que a jovem jornalista Ann Nimiryanoa, a sua colaboradora no jornal Juba Monitor, que foi libertada mais tarde.

Taban, editor-chefe e proprietário do diário independente Juba Monitor, era conhecido como um defensor dos direitos humanos antes mesmo do seu país chegar à independência do Sudão em 2011.

Quando vivia em Cartum, divulgava com dois sulistas e um nortenho o diário independente Cartum Monitor, que militava pela liberdade e pelos direitos humanos. Depois de se ter mudado para Juba, capital do Sudão do Sul, começou a divulgar o Juba Monitor desde Kampala, no Uganda, devido a problemas de impressão no Sudão do Sul, mas ele próprio ficou em Juba.

Segundo Nimiryanoa, ela foi com Taban à sede dos serviços de segurança onde este último foi detido enquanto ela era libertada.

Segundo ela, os agentes de segurança não o interrogaram nem o acusaram, mas aprisionaram-no pura e simplesmente.

Para Nimiryana, Taban foi detido por ter escrito um “editorial provocador” no qual exorta Kiir e Mahcar a demitir-se para que se encontre uma saída à crise no Sudão do Sul. O editorial é intitulado “Kiir e Machar devem ser revogados”.

“É deplorável que o nosso colega, Alfred Taban, editor-chefe do Juba Monitor, no Sudão do Sul, tenha sido detido por apenas ter exprimido uma opinião política, designadamente exortar Kiir e Machar a demitir-se para ajudar a pôr termo à crise”, denunciou segunda-feira o editor-chefe do diário Al Tayar, Osman Mirgahni.

Segundo ele, Taban é conhecido como alguém profissional e objectivo nos seus escritos e nas suas análises.

Os últimos combates no Sudão do Sul, que fizeram mais de 260 mortos, eclodiram a 7 de julho em Gudele, perto de Juba, opondo as tropas fiéis ao Presidente Kiir e as do seu primeiro Vice-Presidente Machar.

A 8 de Julho, disparos foram feitos contra o Palácio Presidencial onde o Presidente e o Vice-Presidente estavam reunidos.

Durante a conferência de imprensa conjunta que se seguiu a esta reunião, os dois dirigentes lançaram um apelo para a calma e exortaram as suas forças a cessar os combate.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!