Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

‘@ Verdade do jogo – “A arte e a beleza expulsam todo o mal do mundo”

Não consigo confirmar se esta frase é da escritora Agustina Bessa Luís, mas a verdade é que podíamos aplicar a mesma à peregrinação de Tico-Tico pelo Moçambola. A verdade é que, nos tempos que correm, ter o privilégio de ver actuar um jogador como Tico-Tico é um verdadeiro luxo.

Não só pela classe que demonstra em cada lance, mas pela qualidade que coloca em cada decisão e movimento. A inteligência do ‘filho pródigo’ não se manifesta só na qualidade das decisões que toma, mas na maneira como consegue “comprar” espaço e tempo no futebol actual. Valendo-se “apenas” de uma técnica sublime, sem ser poderoso fisicamente ou velocista, o número 10 do Desportivo não só consegue criar espaço para o seu futebol como ainda tem o desplante de cobrir os seus movimentos com a ilusão de que tudo o que faz é comum, marginal, ordinário…

Tico pisa o relvado com uma serenidade que ofende. Dá a ideia de que ele ouve Mucavel enquanto joga – será a balada para as minhas filhas? – e no tempo que sobra ouve Moreira Chonguiça. Os muitos golos que marca são apenas mais um detalhe, como os atilhos nas meias. Falar de Tico-Tico é sinónimo de sonhos, de imaginação, de criatividade e de arte! Do prazer que podemos encontrar no futebol. Quando desfila pelos ‘relvados’, parece que o faz em câmara lenta num gesto de generosidade.

A sua personalidade, de tão nobre e clássica, não lhe permitiu ser irreverente o suficiente para ser imortal, para ser um deus, tão-pouco um génio. Um génio a sério, não como aqueles que aparecem todos os dias… Mas permitiu ao futebol tornarse um lugar mais belo…

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!