Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Idoso viola sexualmente uma menor com promessa de assistir um programa televisivo

Um cidadão que aparenta ter 60 anos de idade, residente no 5º bairro da unidade de Namuinho, cidade de Quelimane, província da Zambézia, foi acusado de violar sexualmente uma menor de 13 anos.

O acto, segundo escreve Diário da Zambézia, aconteceu na casa do acusado, mesmo nas imediações da igreja católica. O cidadão, que esteve na extinta RDA, trouxe de lá um televisor e era o único projector de “vídeo” nas redondezas pelo que até agora ficou-lhe a alcunha de “tio magaissa”.

Foi dai que, provavelmente, a menina de 13 anos que aparenta ter perturbações mentais foi a casa do tio magaissa para assistir vídeo. Este, por sua vez, aproveitou-se disso para a violar sexualmente, na ausência da sua esposa e, em troca, deixou-a assistir alguns programas de televisão.

Dai, conta um vizinho, segundo ainda o Diário da Zambézia, a menina saiu a chorar aos gritos. Quando as pessoas perguntaram o que se passava, ela não hesitou em dizer o que o tio magaissa fez com ela. Foi dai que a população conduziu o suposto violador ao posto policial.

Soltura indigna moradores

Chegados ao posto policial,no mesmo dia em que aconteceu o acto, os agentes em serviço trataram de registar o caso e apaziguaram as pessoas garantindo que o caso seria tratado e o suposto agressor iria preso.

Minutos depois, o tio magaissa foi solto, o que criaou indignação no seio dos moradores daquele bairro, que aliam a soltura do suposto agressor com algum favor feito a polícia.

Será que houve mesmo violação sexual?

Enquanto uns levavam o tio magaissa ao posto policial, outro grupo de moradores tratou de levar a menina ao posto de Saúde. De lá, a menina foi avaliada, mas até agora a fonte do DZ diz não ter ainda o resultado desta análise.

Mas assegurou que quando levavam a menina ao hospital, ela sangrava pela vagina, o que na óptica dos populares, houve mesmo violação sexual.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!