Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Vale lança programa de formação técnica

A Vale, multinacional brasileira do ramo de mineração, vai lançar no país um programa de formação profissional, para treinar quadros moçambicanos que irão trabalhar no Projecto de Carvão de Moatize, província central de Tete, cuja exploração inicia em Dezembro de 2010.

O programa, cujo início está marcado para Abril próximo, é o primeiro a ser ministrado fora do Brasil e vai contemplar, numa primeira fase, um total de 25 alunos, que serão formados no curso de Operação de Minas.

Todavia, com a introdução de mais sete turmas, este número vai aumentar gradualmente ao longo do ano para 160 alunos e, em 2010, outras seis turmas novas serão abertas elevando, desta feita, o universo para 340 profissionais nos dois próximos anos.

Além da Operação de Mina, serão igualmente leccionados os cursos de Electricidade Industrial, Mecânica Industrial, Operador de Planta e Soldadura, segundo uma nota de imprensa da Vale que a AIM teve acesso. Estes cursos estão contemplados no pacote financeiro de 170 milhões de dólares norte-americanos que a Vale investirá nas áreas da educação e saúde, actividades produtivas, cultura, lazer e infra-estruturas durante as fases de implantação e operação do projecto de Carvão de Moatize.

O programa a ser desenvolvido em Moçambique baseia-se no modelo brasileiro que, em 2008, contemplou cerca de 1500 estudantes nas áreas de negócio de empresa, para qualificar mão-de-obra técnica e promover o desenvolvimento local a partir do acesso à educação, emprego e renda. O mesmo foi ministrado no Brasil.

A outra área que está a merecer atenção particular da Vale é a do meio ambiente, com vista a uma utilização sustentável dos recursos e potencialidades da flora e fauna, durante o período em que estiverem em curso as actividades de exploração do carvão.

Para o efeito, a Vale tem um Plano de Gestão Ambiental que incorpora as várias acções a serem desenvolvidas em defesa do meio. Uma delas consistiu no levantamento detalhado das espécies florestais existentes na área. Após a conclusão do estudo, iniciouse a marcação e identificação de árvores que serão preservadas dentro da área do projecto de carvão.

A Vale iniciou, em 2007, a colecta e armazenamento de sementes das espécies existentes na área do projecto, para possibilitar a manutenção da biodiversidade local e preparar a futura reabilitação das áreas sujeitas a extracção do carvão com espécies nativas.

A mina de Moatize deverá produzir, nos próximos 35 anos, 11 milhões de toneladas de carvão metalúrgico e energético que serão exportadas para os mercados do próprio Brasil, Ásia, Europa e Médio Oriente.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!