Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Utilizadores de celulares aumentaram em 3,8 milhões

O número de subscritores dos serviços de telefonia móvel em Moçambique subiu em perto de 3,8 milhões de 2004 para 2008, segundo um relatório do Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC). Segundo o relatório daquela instituições destinado a fazer o balanço das suas actividades durante o período 2004/2008 no âmbito do programa quinquenal do Governo, em 2004 existia no país um total de 610.473 subscritores de telefonia móvel, número que ano passado subiu para 4,4 milhões.

O MTC considera que este aumento do número de subscritores a estes serviços foi grandemente influenciado pela entrada, no mercado nacional, da segunda operadora de telefonia móvel, em 2005, a Vodacom Moçambique, empresa subsidiária da Vodacom da Africa do Sul, por sua vez braço da líder mundial Vodafone.

No período anterior a este, o país contava apenas a empresa pública Moçambique Celular (MCel), que na altura do seu monopólio apenas servia a pequena elite com recursos suficientes para subscrever aos seus serviços. Na verdade, o maior crescimento do número de subscritores destes serviços registou-se em 2005, tendo sido de mais de cem por cento (de 610 mil em 2004 para 1,5 milhões no ano seguinte).

Nos anos seguintes, o crescimento não atingiu os 100 por cento. “As acções dos principais intervenientes no mercado das telecomunicações (operadoras e prestadoras de serviços, incluindo o órgão regulador), têm resultado na realização dos principais objectivos da Estratégia das Telecomunicações, ou seja na promoção do direito de comunicar, garantindo o acesso progressivo dos cidadãos aos serviços de telecomunicações na promoção do desenvolvimento das infraestruturas e do mercado”, refere o relatório.

Por outro lado, o número de utilizadores dos serviços de telefonia fixa subiu em apenas três mil, tendo passado de 75 mil em 2004 para 78 mil em 2008. O crescimento desta área de comunicações tem sido lento. Aliás, em 2005, a empresa provedora destes serviços chegou a perder clientes, tendo o número baixado de 75 mil em 2004 para 65 mil no ano seguinte.

O relatório aponta para outras áreas do sector, com destaque para os sucessos alcançados na componente dos transportes públicos de passageiros, tanto terrestres como marinhos (nas principais travessias do país). “De uma forma geral, o sector dos Transportes e Comunicações caracterizouse por um crescimento anual sempre a dois dígitos, superior a média do crescimento nacional”, indica a fonte.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!