Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

USD 10 biliões para produção do gás liquefeito, fertilizantes e etanol em Moçambique

Cerca de 10 biliões de dólares norte-americanos estão a ser aplicados na concretização de projectos relacionados com o desenvolvimento de infra-estruturas na cidade da Beira e no distrito de Palma, província de Cabo Delgado, para produção do gás liquefei-to, montagem de fábricas de fertilizantes e energia.

O projecto inclui a construção de um complexo petroquímico na Beira, para além de o mesmo investimento estar a ser aplicado no apoio na montagem do gasoduto para expansão do gás às pequenas e médias empresas e da rede de distribuição de gás para algumas regiões do país, entre elas as cidades de Maputo e Beira, segundo Ebbie Haan, director-geral da companhia sul-africana Sasol.

Haan acrescentou que o objectivo principal do Plano-Director do Gás de Moçambique é diversificar a economia moçambicana, modernizar a agricultura e para uma ampla disseminação da electrificação do país.

O investimento visa igualmente expandir a industrialização pelo país e apoiar as pequenas e médias em- presas e outras derivadas de mega-projectos activos em Moçambique, para além de financiar acções de formação da força de trabalho mais capacitada e montagem da rede de distribuição do gás na cidade de Maputo. Refira-se que a Sasol está também integrada neste plano-director, com um investimento não reve- lado por Haan.

O primeiro carregamento do gás liquefeito só será em 2020, segundo a analista Virendra Chauham, da consultoria Angery Aspects. Habilidades Entretanto, cerca de USD 12,4 milhões estão a ser aplicados pela SASOL em acções de formação de 30 alunos por ano nas áreas de geologia, petróleo, perfuração e engenharia de reservatório projectado para assegurar o conhecimento da indústria e desenvolvimento de habilidades.

O valor está igualmente a ser aplicado na concretização de um programa estruturado para artesãos especialistas na montagem mecânica e eléctrica, segundo ainda Haan, ajuntando que parte do mesmo investimento está a apoiar o desenvolvimento de bolsas de estudo, em parceria com o Ministério dos Recursos Minerais.

Haan sublinhou que a Sasol está a colaborar com univerrsidades moçambicanas na construção de capacidades necessárias junto dos estudantes para acrescentar valor nas universidades moçambicanas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!