Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Universidades africanas querem uma investigação científica mais produtiva

O Fórum Regional de Universidades (RUFORUM), aposta no fortalecimento do ensino superior, com vista a produzir uma linha de investigação científica mais produtiva, capaz de produzir resultados que impulsionem o rápido desenvolvimento do sector agrário, que ainda continua refém das condições climáticas no continente.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Louis Pelembe disse esta segunda-feira (21), em Maputo, na abertura do evento, que as Universidades precisam aprimorar os seus métodos de investigação agrária, com vista a torna-la mais robusta e geradora de resultados concretos para maximização da produção e produtividade.

Factores que Pelembe considera cruciais para a redução dos focos da fome e da insegurança alimentar e nutricional, que ainda continua um grande problema para o continente africano.

Na óptica do ministro mais do que investigar é necessário que se aprimore a planificação, coordenação, orientação, controlo, avaliação e transferência de resultados tecnológicos em prol do crescimento agrário e desta forma reduzir os índices da fome e pobreza.

Somente com uma agricultura cientificamente sustentável será possível, transformar o sector numa alavanca geradora de crescimento económico e da renda familiar, com enfoque para os pequenos e grandes produtores agrícolas, realçou Pelembe.

Pelembe reitera também o fortalecimento das capacidades humanas e científicas, incluindo a melhoria das infra-estruturas agrícolas, que ainda encontram-se em estado crítico, no continente em geral e Moçambique em particular. Segundo Pelembe o incremento do investimento no sector agrário, aliado a formação dos gestores e accionistas agrícolas, são cruciais para transformação da base produtiva e institucional, que ainda apresenta défice de gestão de todo sistema agrícola.

Moçambique já produz resultados da investigação universitária Por sua vez, o porta-voz do encontro, Emílio Tostão disse que Moçambique já começou a produzir resultados para o sector agrário, com enfoque para a amostra da fruta e gestão de queimadas, este ultimo que contribuiu para redução deste fenómeno.

Segundo Tostão Moçambique e o continente devem reforçar o investimento na componente da pesquisa universitária, de modo a dotar de capacidade os recursos humanos e sejam capazes de buscar soluções as limitações que ainda persistem no sector agrário.

“ O incremento das pesquisas nas Universidades é fundamental para alargar a base de conhecimento agrário, as acções a desenvolver para remover as barreiras que minam a actividade agrícola e bem como fazer do sector agrário um grande vector da economia nacional”, concluiu Tostão.

De referir que o evento realiza-se sob o lema “Celebrando a contribuição de ensino superior terciário e parceiros para o desenvolvimento do sector agrário em África”, na qual pretende-se melhorar o desempenho do sector agrário e sirva de plataforma de pesquisa agrária no continente.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!