Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

UE vai apoiar o desenvolvimento de Moçambique com 41 milhões euros

A União Europeia (UE) vai desembolsar 41 milhões de euros para apoiar vários sectores vitais para o desenvolvimento em Moçambique. Trata-se dos sectores de Desenvolvimento Económico Local, Estado de Direito e Actores não Estatais, que irão receber 27, nove e cinco milhões de euros respectivamente.

O acordo que formaliza o apoio foi assinado, Quinta-feira (19), em Maputo, pelo vice-Ministro moçambicano dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Henrique Banze, e o Embaixador e Chefe da Delegação da UE em Moçambique, Paul Malin, um acto testemunhado pelo Chefe do Estado, Armando Guebuza, e pelo Presidente da Comissão Europeia, José Durão Barroso, que se encontra de visita ao país.

“São componentes muito importantes nos quais Moçambique está envolvido, particularmente o acordo para o desenvolvimento local que vai contribuir fundamentalmente para apoiar os nossos distritos”, disse Banze.

Segundo o governante, os 27 milhões de euros desta área irão servir distritos das províncias de Sofala (centro do país), Inhambane e Gaza, ambos no sul.

Banze explicou que, com estes fundos, o governo pretende potenciar os distritos e também a província no seu todo no sentido de dar maior capacidade para uma maior produção e maior produtividade.

“A nossa expectativa é que continuemos a trabalhar nesta e noutras áreas com a União Europeia para atingirmos o nosso objectivo último que é o combate a pobreza e o desenvolvimento do nosso país. Faço votos para que a nossa cooperação continue e se fortifique e que os frutos e os beneficiários últimos sejam a nossa população”, disse Banze.

Por seu turno, o Embaixador e Chefe da Delegação da UE em Moçambique disse que a sua organização é um dos principais e mais antigos parceiros do país e esse acordo é testemunho dessa cooperação.

“Com o apoio ao Estado de Direito, apoiamos não só o governo, mas também todos os poderes do Estado, a Assembleia da República, a Justiça. Assim temos apoio equilibrado para a boa governação e desenvolvimento económico de Moçambique”, disse Martin, acrescentando que na área dos sectores não estatais será reforçada a acção da juventude e sociedade civil.

Num breve contacto com a imprensa, o Presidente da Comissão Europeia congratulou os esforços de Moçambique rumo ao desenvolvimento.

“É notável o desenvolvimento de Moçambique. Recordo-me quando visitei este país muitas vezes estava ainda em guerra e não havia um regime democrático institucionalizado. Hoje, apesar de haver ainda grandes desafios, é uma democracia, é um país que conhece a paz e está a consolidar a sua reconstrução nacional e é um país com imenso potencial económico e a União Europeia tem que com certeza a intenção de continuar a apoiar Moçambique nessa tarefa”, disse Durão Barroso.

“Aliás, a ajuda da União Europeia, através da Comissão Europeia e dos seus Estados membros, cerca de 75 por cento da ajuda ao desenvolvimento de Moçambique vem da União Europeia. Além disso, somos o principal parceiro comercial e também o maior investidor no país”, acrescentou ele.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!