Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Trabalhadores da açucareira de Xinavane em greve

Até ao fim da tarde desta Quarta-feira, a direcção da empresa e trabalhadores da Açucareira de Xinavane, na província meridional do Maputo, mantinham uma série de negociações visando pôr térmo à greve geral iniciada, última Terça-feira, prolongando-se no dia seguinte, 2 de Novembro de 2011.

O nó da discórdia “é um conflito que dura há bastante tempo, opondo os trabalhadores à direcção”, segundo Francisco Mazoio, da central sindical Organização dos Trabalhadores de Moçambique.

Mazoio declinou especificar o que realmente pretende dizer com “conflito”, negando, entretanto, que a greve tenha algo a ver com o aumento salarial, “pois o aumento efectivou-se, realmente, em Abril de 2011, durante as negociações por sectores de actividade do salário mínimo nacional, entre os sindicatos, empregadores e Governo”, mais tarde aprovado pelo Governo.

Mas junto de fontes de dentro da fábrica, o Correio da manhã apurou que tal conflito tem a ver com disparidades salariais existentes entre os trabalhadores moçambicanos e expatriados, maioritariamente, originários da África do Sul.

Foram infrutíferas as tentativas de o nosso jornal contactar a direcção e sindicatos da Açucareira de Xinavane, uma vez que os seus telemóveis estavam desligados, sabendo-se apenas que havia uma forte presença policial na empresa, tentando dispersar os trabalhadores grevistas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!