Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Tete: policia preocupada com índice de suicídios

As autoridades policiais moçambicanas em Tete, na zona centro de Moçambique, estão preocupadas com a subida do índice de casos de mortes por suicídio com recurso ao enforcamento que, nos últimos três meses, se registam um pouco por toda a província. Segundo o chefe do Departamento de Relações Públicas no Comando Provincial da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Tete, João Sozinho, cerca de 20 casos de mortes ocorridas nos últimos dois meses em vários distritos da província foram por enforcamento.

Citado pelo matutino “Noticias”, Sozinho revelou que a maioria dos casos ocorreu nos distritos de Marávia, Zumbo, Changara e arredores da cidade de Tete, onde alguns corpos foram encontrados pendurados no interior das suas residências e outros nos quintais com os pescoços amarrados sobre uma árvore.

“A corporação está muito preocupada com o cenário. Os casos de suicídio por enforcamento estão a tornar-se prática na província, motivados, em muitos casos, por conflitos de interesse familiar, pelo que apelamos à população a optar pelo diálogo com os familiares como melhor forma de ultrapassar os diferendos”, apelou.

A fonte instou os desavindos a recorrem às estruturas políticas e administrativas instituídas em cada bairro desde os chefes de 10 casas, de quarteirão, unidade, secretários dos bairros, entre outras, porque o recurso ao suicídio só aumenta a tristeza, luto e deixa muitas crianças órfãs.

A polícia revelou que um outro mal que apoquenta as autoridades governativas na província de Tete são os frequentes casos de afogamento ao longo do rio Zambeze que se estão a registar nos últimos 60 dias, principalmente na cidade de Tete e nos distritos de Mutarara, Cahora Bassa e Marávia. “Nos meses de Novembro, Dezembro e Janeiro, sendo o pico das altas temperaturas na província de Tete, muitas pessoas recorrem ao rio Zambeze à procura de água e, devido à força da corrente do rio estas são arrastadas durante o banho”, explicou.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!