Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Taça CAF: Ferroviário da Beira roubado em Kinshasa

O Ferroviário da Beira foi derrotado pelo AS Vita da República Democrática de Congo, por 3 a 0, num jogo onde o árbitro, Diosdado Nzibi Nze da Guiné-Equatorial, esteve claramente a favor dos anfitriões assinalando um penálti duvidoso que resultou na expulsão de um defensor dos beirenses, que viram também o seu treinador expulso. A partida da 1ª mão dos 16 avos-de-final da Taça CAF esteve interrompida durante 14 minutos devido à invasão do relvado por adeptos da equipa da casa.

Os locomotivas da Beira ainda se ambientavam ao relvado do estádio Tata Raphaël, em Kinshasa, quando sofreram o primeiro golo. Jogava-se o primeiro minuto e Mubele aproveitou uma defesa incompleta de Willard rematando para o 1 a 0.

Na primeira parte, os moçambicanos não chegaram de rematar à baliza do AS Vita, apesar de terem equilibrado o rumo dos acontecimentos no último quarto de hora.

No reatamento, o domínio continuou a pertencer à formação que jogava em casa e o conjunto moçambicano limitou-se a baixar as suas linhas para explorar as jogadas de contra-ataque, uma vez que o 1 a 0 era um resultado que permitia encarar o jogo da segunda com uma gota de esperança no que tange à transição para os oitavos-de-final da prova.

Depois da invasão do relvado por alguns dos milhares de adeptos que lotavam o estádio, o AS Vita chegou ao segundo golo através de uma grande penalidade a castigar um suposto corte da bola por Elísio usando a mão, quando jogava-se o minuto 84. O jogador moçambicano recebeu a ordem de expulsão por acumulação de amarelos e, na cobrança do castigo máximo, Dayo fez o 2 a 0.

Reduzida a 10 unidades, a tarefa da equipa moçambicana tornou-se mais espinhosa. Com alguma naturalidade, os congoleses chegariam ao terceiro golo. Na sequência de um cruzamento vindo da direita do ataque do AS Vita, Mubele aproveitou a apatia da defensiva moçambicana, sobretudo Willard, para fixar o resultado final em 3 a 0.

Com este resultado, o Ferroviário da Beira é obrigado a vencer, daqui a 15 dias, no caldeirão do Chiveve, pelo mesmo resultado na partida da segunda mão para empatar a eliminatória, e para transitar para a outra ronda deve marcar quatro golos e não sofrer nenhum.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!