Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Supostos ladrões morrem nas mãos de populares em Gaza e Manica

Três indivíduos alegadamente surpreendidos a roubar em propriedades alheias perderam a vida vítimas de linchamento, na passada segunda-feira (09), nas províncias de Gaza e Manica. O quarto cidadão não teve o mesmo fim porque a Polícia da República de Moçambique (PRM) agiu a tempo de evitar o pior. Contudo, ele está a lutar pela vida no Hospital Provincial de Chimoio (HPC).

Em Gaza, uma das vítimas da justiça pelas próprias respondia pelo nome de A. Simbine, de 34 anos de idade. Ele foi acusado de roubo numa barraca, no distrito de Xai-Xai.

Na mesma parcela do país, no 2o bairro de Chicumbane, um jovem identificado pelo nome de D. Mucavele, de 28 anos de idade, também foi espancado até à morte, com recurso a instrumentos, indiciado de tentativa de roubo numa casa, segundo o Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM).

Na cidade de Chimoio, em Manica, um outro indivíduo foi violentamente agredido até à morte após ter sido apanhado a roubar numa residência. O seu comparsa encontra-se internado no HPC, para onde foi socorrido pelos agentes da Lei e Ordem. O caso ocorreu no bairro 7 de Abril.

No distrito de Moamba, província de Maputo, uma cidadã identificada pelo nome de A. Matsinhe, de 53 anos de idade, está detida, desde o último domingo (15), acusada de extrair o lábio inferior, com recursos aos dentes, de uma outra senhora de 36 anos, de nome A. Catuana.

A agressão física com contornos passionais, segundo a Polícia, deu-se no bairro de Madinguine e ofendida recebeu cuidados médicos no Centro de Saúde de Moamba.

No distrito de Cuamba, no Niassa, as forças governamentais recuperaram 1.760 unidades de munições de armas de guerra, do tipo PK, que se encontravam num esconderijo, na localidade de Mutetere.

Na cidade de Maputo, um jovem de nome J. Dias, de 25 anos de idade, está privado de liberdade, na 7a esquadra, desde segunda-feira (16), acusado de extravio de um cheque no valor de 222 mil meticais, o qual pretendia depositar na sua conta, num balcão no bairro do Alto-Maé.

Segundo a PRM, o cheque pertence a um cidadão identificado pelo nome de E. Matsinhe, de 42 anos de idade, residente capital do país. Mas o acusado nega conhecer a proveniência do referido cheque e alegou que teve acesso a ele através de um amigo que esta foragido.

Enquanto isso, no Terminal Rodoviário Inter-provincial e Internacional de Maputo, um cidadão de nacionalidade sul-africana foi preso, desde esta terça-feira (17), na posse de 14.300 rands falsos, que pretendia trocar a 600 rands para uma cidadã no recinto daquelas instalações.

A Polícia disse ter conhecimento da existência de uma rede composta por sul-africanos e moçambicanos e que operam dentro daquele terminal com notas falsas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!