Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Sudão conclui primeiras eleições multipardárias em 24 anos

As primeiras eleições multipartidárias em 24 anos foram concluídas esta quinta-feira no Sudão, mas os sudaneses temem que as acusações de fraude gerem críticas e atos de violência durante o anúncio dos resultados, em 20 de abril.

Os colégios eleitorais fecharam às 18h locais. “Acabou. Estamos todos muito contentes”, declarou Azhar Nuer Mohamed, diretor de um colégio eleitoral instalado em uma escola. As autoridades sudanesas fecharam os órgãos públicos no meio do dia com o objetivo de permitir que os funcionários votassem neste quinto e último dia das eleições legislativas, regionais e presidenciais, que devem confirmar o presidente Omar el Beshir no poder.

“Não há quase ninguém hoje”, afirmou Tayeba Abdelrahmán, encarregado de uma mesa eleitoral no bairro Amarat, de Cartum. A comissão eleitoral iniciará a contagem de votos na sexta-feira e anunciará os resultados na próxima terça-feira. Há vários dias, diversos partidos acusam seus adversários de serem responsáveis por atos de violência.

Lam Akol – único rival do presidente do governo semiautônomo do Sudão do Sul, Salva Kiir – acusou nesta semana o exército sulista da morte de duas pessoas no estado petroleiro de Unité, situado na fronteira entre o Norte e o Sul. “Nada disso é verdade. Lam Akol quer converter o exército sulista em bode expiatório para explicar sua derrota”, declarou à AFP Kuol Deim Kuol, porta-voz oficial do Exército Popular de Libertação do Sudão (SPLA), ex-guerrilha sudanesa que dirige o exército do Sudão do Sul.

Kuol afirmou que um confronto entre civis e membros do exército sulista deixou ao menos um ferido nesta semana no estado de Unité, onde uma candidata independente ao cargo de governador desafia a liderança dos ex-rebeldes.

Estas são as primeiras eleições multipardárias realizadas no Sudão desde 1986, mas o pleito está sendo boicotado por parte da oposição, que acusa o presidente Beshir de ter fraudado as consultas. As eleições deveriam ter sido realizadas de domingo a terça-feira, mas problemas técnicos fizeram com que fossem prorrogadas até esta quinta-feira.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!