Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Sonoridades pictóricas em palco

Sonoridades pictóricas em palco

O fotógrafo moçambicano, Mário Macilau, e o músico sul-africano, Bongeziwe Mabandla, actuam na noite da sexta-feira, 02 de Maio, no Centro Cultural Franco-Moçambicano, num evento de intercâmbio de experiências artísticas enquadrado na quarta edição do Festival Azgo, a decorrer entre 23 e 24 de Maio.

Segundo a organização, a realização, com início marcado para as 20.30 horas, tem carácter colaborativo entre o fotógrafo moçambicano, Mário Macilau, e o músico sul-africano, Bongeziwe Mabandla, e insere-se no ciclo “A Caminho do Azgo”, que é uma série de concertos que serão realizados ao longo do tempo que precede a quarta edição do Festival Azgo que terá lugar entre os dias 23 e 24 de Maio, no complexo Matchiki-Tchiki, em Maputo

Espera-se que a ocasião sirva de plataforma que possibilite ao público perceber até que ponto a envolvente e penetrante fotografia de Mário Macilau dialoga com a música afro-folk de Bongeziwe Mabandla. Por essa razão este concerto, em si, representa para os seus protagonistas uma expressão de fraternidade artística entre Moçambique e África do Sul.

Quem são os artistas?

Mário Macilau nasceu em Moçambique, em 1984, onde vive e trabalha. Depois de ter experimentado o fim da guerra dos 16 anos, no seu país, decidiu abraçar a área da fotografia. Em 2007, começou a tornar- -se profissional da área da fotografia. Neste sentido, Macilau é movido pela possibilidade de gerar uma mudança positiva na cultura, nos lugares e nas perspectivas de pensamento que o ser humano cria para si próprio e para os outros.

Em 2011, é nomeado para o Prémio BES Photo 2011, com exposições no Museu Berardo em Lisboa e na Pinacoteca do Estado de São Paulo, no Brasil. No mesmo ano participa na Bienal de Bamako, em Mali. No ano seguinte, apresenta a sua primeira exposição individual em Lisboa, ao mesmo tempo em que participa nos Rencontres d’Arles, na França. Realizou duas residências artísticas no Quénia e na Nigéria que incluíram a realização de mostras individuais do seu trabalho.

Refira-se que no ano 2012, Macilau foi nomeado para o Prix Pictet, na Suíça, e ganha o 1º Prémio da Fundación Manuel Rivera-Ortiz, em Nova Iorque, bem como o 1º Prémio do The Protection Project, Photography Contest, em Washington DC. Como fotógrafo, Mário Macilau tem viajado pelo mundo. Com frequência, é convidado a falar sobre o seu trabalho em instituições culturais e de ensino universitário, como aconteceu em 2013, altura em que esteve na Universidade de Bayreuth, da Alemanha.

O fotógrafo integra as colecções institucionais da PLMJ, do Banco Comercial e de Investimentos, da Embaixada Francesa em Maputo e da African Artists Foundation (AAF, Lagos). Mas a sua obra está, igualmente, presente em várias colecções particulares portuguesas e africanas. Em 2013, o canal de televisão Aljazeera realizou um documentário em que fala sobre a vida e obra de Macilau com o título “Mário Macilau – A Unique Gaze”.

Por sua vez, Bongeziwe Mabandla é um guitarrista de 29 anos de idade. É originário da pequena cidade de Tsolo Umtata, no Cabo Oriental, África do Sul. Dedica-se à música desde pequeno, o que lhe possibilitou, precocemente, participar em inúmeros eventos culturais do seu país, incluindo dos realizados em Estados como o moçambicano, francês e das Ilhas Reunião.

Ao longo da sua carreira, Mabandla foi influenciado por artistas internacionais como Tracy Chapman, Lauryn Hill, a sul-africana Simphiwe Dana, e o zimbabueano Oliver Mtukudzi. Ele interpreta as suas composições em inglês e xhosa.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!