Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

“Sete milhões” criam 630 empregos em Matutuíne

O Fundo de Investimento a Iniciativa Local, vulgarmente conhecido por “Sete milhões”, no distrito de Matutuíne, no Sul de Moçambique, permitiu a criação de 632 postos de trabalho ao longo do ano passado naquele ponto da província de Maputo.

Segundo o Administrador do distrito de Matutuíne, Mário Daniel Bombi, os “Sete milhões” financiaram, durante o ano passado, um total de 59 projectos, maioritariamente agrícolas.

Matutuíne é um distrito da província de Maputo que vive essencialmente da prática da agricultura e da criação de gado.

“Os Sete milhões contribuíram para o aumento da produção de alimentos e criação de muitos postos de trabalho.

Em 2008, financiamos 59 projectos que resultaram na criação de 632 posto de emprego. Este ano, acreditamos que vamos aumentar o número de projectos financiados, o que vai contribuir para aumentar a produção de alimentos e postos de trabalho” referiu.

Em 2007, o Fundo de Investimento a Iniciativa Local financiou, no distrito de Matutuíne, 46 projectos aprovados pelos Conselhos Consultivos distritais, resultando na criação de 383 postos de trabalho naquela parcela do país.

De acordo com Bombi, as pessoas estão a aderir aos “Sete milhões”. O distrito tem vindo a receber vários projectos elaborados por jovens, camponeses associados ou individualmente.

Numa conversa com a AIM, o Administrador de Matutuíne revelou que o distrito está a incentivar a participação de camponeses associados, uma vez que estes estão mais organizados e a capacidade de retorno é maior.

“As pessoas estão a concorrer ao Fundo de Investimento a Iniciativa Local, os projectos financiados estão a contribuir para o aumento de postos de trabalho, produção de alimentos e da renda dos camponeses. Também há o fomento pecuário porque o nosso distrito tem grandes pontencialidades para a criação de gado bovino e caprino, essencialmente”, explicou.

O Governo moçambicano canaliza, desde 2006, recursos aos 128 distritos do país para desenvolver projectos de produção de comida e criação de emprego.

Naquela altura, o valor disponibilizado a cada distrito era de sete milhões de meticais (270 mil dólares norte-americanos).

Em 2007, depois de uma avaliação ao primeiro ano da alocação do fundo, o Governo decidiu aumentar os recursos para os distritos, consoante as especificidades de cada um, como por exemplo a extensão territorial, o número de habitantes, o nível de desenvolvimento, entre outros factores.

Desde então, os recursos alocados aos distritos variam entre nove milhões e 12 milhões de Meticais (340 mil e 453 mil dólares). Estes valores deverão aumentar a partir de 2009 para responder de forma cabal as necessidades das comunidades.

A gestão destes recursos é feita pelos Conselhos Consultivos distritais, que recebem e avaliam os projectos ou propostas dos cidadãos para produção de comida ou geração de renda, e decidem sobre a atribuição ou não dos fundos solicitados.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!