Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Semente da moringa pode reduzir algumas doenças a custo zero

Peritos dizem que uma das soluções para disponibilizar água potável à muitos dos pobres em todo o mundo é o uso da semente de moringa, uma planta que pode crescer na mata ou ser plantada em casa.

“A técnica da semente da moringa pode ser um método importante, adequado e quase a custo zero para reduzir o problema de doenças provocadas pelo consumo de água imprópria, e pode melhorar a qualidade de vida de um grande número de pessoas pobres”, disse à IRIN, Michael Lea, investigador na organização “Clearinghouse”, baseada em Ottawa, Canadá, e que se dedica à pesquisa de tecnologias de purificação de água a baixo custo.

Segundo uma publicação de Lea, de 2010, as sementes da moringa, uma planta que pode ser facilmente encontrada em África, América central e do sul, na Índia e sul da Ásia, podem ser esmagadas até ficarem em pó e misturadas com águas superficiais, isto é, água de rios, riachos, lagos e charcos, o que permite reduzir entre 90 e 99 por cento as bactérias contidas na água, tornando-a potável.

Esta técnica não é nova. Comunidades no Sudão têm vindo a usar, durante vários séculos, a moringa, que tem diversas utilidades, nomeadamente como fonte de alimento, purificador de água, e que até tem propriedades medicinais.

A planta cresce rápido, é nutritiva, é comestível, é resistente à seca, e pode ser plantada no quintal. As sementes são fáceis de triturar com ferramentas de uso caseiro, tais como colheres e tigelas. A possibilidade de se purificar água com técnicas acessíveis tem um significativo potencial para salvar vidas.

A técnica é simples: colher e secar as sementes; moer as sementes até ficarem em pó; misturar o pó com um pouco de água até formar uma pasta; adicionar a pasta à água que se pretende purificar; agitar; deixar o recipiente repousar; depois de cerca uma ou duas horas, decantar a água num recipiente limpo. Esta água está pronta para se beber.

A nível global, aproximadamente 1,1 bilião de pessoas no mundo não têm acesso a água potável, e as diarreias são a principal causa de doença e mortes, segundo o mais recente relatório do Gabinete das Nações unidas para a Coordenação para os Assuntos Humanitários.

Com o receio de que este número de pessoas sem acesso a água potável suba para dois biliões até 2015, vários projectos independentes para o cultivo da moringa foram lançados nos últimos anos.

Plantações de moringa no Gana

Na aldeia de Breman Baako, no Gana, a organização “Moringa Community” (Comunidade da Moringa) desenvolveu plantações de moringa das quais vivem vários milhares de pessoas, como fonte de alimento.

“A moringa é rica em proteínas e vitaminas, de modo que as pessoas comem as folhas e usam as sementes como tempero para comida”, disse Abu Bakkar, director da “Moringa Community. “Mas existe a necessidade de água potável, e nós estamos a tentar informar as comunidades sobre esta outra técnica”.

Limitações

Embora esta técnica tenha um bom potencial, Kebreab Ghebremichael, perito em purificação de água a trabalhar para o Instituto para a Educação Sobre Água, da UNESCO, diz que seria melhor usá-la somente a nível familiar.

“A técnica é simples e barata e muita gente já tem esta planta nos seus quintais”, disse Ghebremichael, que estudou a técnica de purificação de água com sementes da moringa para a sua tese de doutoramento.

“Mas moringa não processada não pode ser usada em grandes sistemas centralizados… porque o princípio orgânico contido na semente apresenta problemas de sabor e cheiro se a água ficar muito tempo antes de ser consumida”.

A técnica de purificação de água Através da semente da moringa funciona melhor para purificar água superficial, porque não resolveria o problema do envenenamento por arsénico natural contido em águas subterrâneas, que afecta muitas populações na Ásia.

Este método não é solução para tudo, mas pode ser usada em situações de emergência e onde as pessoas não têm recursos para tratar a água que bebem”, disse Lea.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!