Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Selo d’ verdade

Antes de mais, desejar continuação e maiores sucessos, pois o VOSSO trabalho de informar está realmente a chegar a quem necessita, participando no desenvolvimento deste Digno País e por outro lado deve ser destacada a Vossa função de ensinar a ler, ao gosto pela interpretação, isso é educar, é cultura.

Porem, uma simples nota de apontamento que não devia deixar passar em claro, pretendo esclarecer.

Numa recente edição, a propósito e muito bem, das crescentes dificuldades nos transportes rodoviários em Maputo, o vosso colega sr. Renato Caldeira, reporta uma informação que estou certo estar muito longe da VERDADE, refiro-me concretamente aos exagerados números de veículos importados em estado de 2ª mão, estimados por tempo, na base dos 2 minutos por veiculo registado em media, evidentemente, talvez noticia orientada indevidamente por alguém, menos a par do real mas o calculo estimativo é que aponta para 200 e tal mil viaturas entraram em MOZ, em 2008???

Bom eu diria que ISSO seria óptimo para Moz, se fosse próximo da verdade reparem que os números reais não ultrapassam os 40 mil veículos que se matricularam em 2008.

Eu compreendi como fizeram as contas, mas deveriam usar o razoável de 30/ hora x 8h= 240x20d= 4800x12meses= 57600 veículos… certo? Daqui até 250 mil??… o parque total automóvel em moz, não atinge hoje os 280 mil veículos em circulação! procurem junto do INAV.

Repito a expressão, seria desejável terem-se registado 250 mil veículos dedicados a 2008, porque como sabem, “a estrada conduz a Vida e os veículos transportam valores” não restam duvidas, que o processo de avaliar o desenvolvimento de uma comunidade, um Pais, basta olhar para o expectro do movimento rodoviário, a qualidade e estado do parque automóvel, reflecte bem o estado da economia, mas em termos rodoviários no nosso caso moçambicano, mais triste que tudo, é o mau desempenho dos condutores, resultado do fraco sistema de ensino, fraca avaliação, reduzida fiscalização e ausência de Inspecções Técnicas obrigatórias ao perigoso estado da maioria das viaturas em circulação, especialmente agravado nos transportes públicos de acordo? NOTEM a triste INSEGURANÇA rodoviária em números comparáveis obviamente, devemos melhorar face ao melhor.

Na U.E. por cada 4500 veículos em circulação, acontece uma perda de vida!

Na vizinha RSA por cada 650 veículos uma vida fatal!

Em MOZ, é muito lamentável que APENAS, por cada 210 viaturas em movimento, provocam uma perda fatal!! Todos estes os dados comparados a anuidade de 2007.

Neste ambiente reside de facto, uma pandemia em sinal de agravamento, e poucos dão atenção! a opção?? é PREVENÇÃO RODOVIARIA, mas quase ninguém mais responsável quer assumir, porque?? não é divulgada! os fiscais preocupam-se com a velocidade, com mais?? onde estão as competentes inspecções técnicas regulares aos veículos?? para o condutor saber o real estado do carro, independentemente das vigarisses técnicas que sofremos nas oficinas!!, pois o ponto depende da qualidade do parque auto e da capacidade de uma boa condução, a qual resulta das habilidades do condutor em antecipar-se as circunstancias, instantes em estrada e por isso deve antecipar-se tambem a ter noção da aptidão da viatura “antes” avançar em desafio “desconhecido” em estrada… a isto se denomina PREVENCAO RODOVIARIA.

O estacionamento?? é um problema de simples solução, o pior de todos eh permitirem circular condutores incompetentes, outros não licenciados, veículos sem o mínimo de condições de segurança para qualquer estrada… reparem que o licenciamento para conduzir eh atribuído e muito bem,.ah classe e categoria de veículos permissível e não ao tipo de estrada, o condutor licenciado deve conduzir em qualquer estrada e tomar as competentes providencias relativamente ao estado do veiculo se capaz para a estrada e dirigir a viatura função do código, que aprendeu, ou deveria, dar atenção as condições da via, do transito, do tráfego, sinais, peões, animais ,mau tempo etc. a sinistralidade depende muito do condutor/veiculo, e não porque não havia sinais, ou porque havia um buraco, ou porque rebentou um pneu, a criança atravessou a correr etc. vamos todos condutores e relativos ao transito, por a mente no lugar, e não fazer como a avestruz aí Jesus ACIDENTE!

OBRIGADO pela atenção e façam o favor de continuarem o BOM desempenho para a sociedade, PARABENS.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!