Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Seis estudos moçambicanos sobre estradas e barragens em debate no Maputo

Estudantes, jovens engenheiros e especialistas moçambicanos em Engenharia Geotécnica exibem, desde esta segunda-feira, e por quatro dias, os resultados das suas pesquisas sobre estradas, barragens, túneis, problemas da erosão, material de construção, escavações e estabilidade das encostas.

Os trabalhos fazem parte de 94 estudos sobre aquelas matérias feitos em vários países africanos e por estrangeiros nos mesmos países africanos que estão sendo apresentados para debates no decurso da XV Conferência Regional Africana sobre Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica, a decorrer na capital moçambicana entre 18 e 21 deste Julho.

O encontro está a ser aproveitado por participantes moçambicanos que são estudantes, jovens engenheiros e professores universitários da Engenharia Civil para troca de experiências com os colegas expatriados sobre melhores formas de aproveitamento de conhecimentos existentes sobre a geotecnia, tida como “vital para a solidez e bom nome futuro dos empreendimentos”, segundo Carlos Quadros, presidente da Associação Moçambicana de Geotecnia (SMG).

Qualidade das obras

Indagado pelo Correio da manhã, esta segunda-feira à margem daquele encontro, sobre as razões da fraca qualidade dos empreendimentos feitos ultimamente em Moçambique, Quadros assacou as culpas à alegada “fraca qualidade” que os discentes trazem dos Ensinos Primário, Secundário e Técnico.

“Essas debilidades são depois transportadas para o Ensino Superior”. No entender do engenheiro moçambicano Saturnino Chembeze, membro da SMG, a fraca qualidade das obras deriva da “má qualidade de quem faz o estudo, fiscaliza, bem como da má qualidade do material de construção. Tudo isso é determinante para se ter uma boa ou má obra no fim”.

Quadros e Chembeze defendem, entretanto, o aumento do investimento e investigação no Ensino Superior, em Moçambique, “se quisermos ter obras de melhor qualidade no país”, realçaram.

A XV Conferência Regional Africana sobre Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica foi, refira-se, aberta pelo Presidente da República, Armando Guebuza, que se fazia acompanhar por membros do seu Executivo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!