Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Saúde introduz novo serviço de TARV em Ribáuè

O Ministério de Saúde (MISAU) acaba de abrir mais um hospital dia no distrito de Ribáuè, aumentando, assim, o número daquele tipo de unidades sanitárias destinadas ao tratamento de um milhar de pacientes vivendo com o HIV/SIDA naquela região, os quais viam-se obrigados a disputar o único estabelecimento até aqui existente.

Trata-se de um constrangimento que se arrastava desde o ano de 2006, altura em que todos os pacientes de SIDA espalhados pelos três postos administrativos do distrito (caso de Cunle, Iapala e a sede), tinham de se deslocar ao Centro de Saúde Rural para aceder aos fármacos que atenuam os efeitos da doença.

Milena Valhare, médica-chefe distrital, que facultou esta informação no decurso das celebrações do Dia Mundial de combate ao SIDA, assinalado no dia 1 de Dezembro, referiu que se trata de um enorme alívio, porquanto irão reduzir significativamente os índices de desistência aos tratamentos derivada das longas distâncias entre as residências dos doentes e as unidades sanitárias.

Dados disponíveis referem que Ribáuè conta com pouco mais de mil e cem seropositivos, número que se acredita que poderá subir se as comunidades não se envolverem activamente na assimilação das mensagens de prevenção, principalmente as camadas jovens daquele distrito, considerado como um dos “grandes corredores”, ligando o porto de Nacala e o “hinter-land”, mais concretamente o Malawi.

Uma responsabilidade acrescida, nesta matéria de divulgação de mensagens de prevenção contra a doença, foi dada à OLAM, a única empresa fomentadora de algodão no distrito e que é a segunda maior empregadora depois do Estado, com mais de 14 mil trabalhadores directos e indirectos.

Santos Morra, director administrativo daquela empresa, referiu que sendo a OLAM membro da aliança global de combate ao SIDA, tudo está a fazer, ao nível local, para prestar o apoio necessário aos trabalhadores portadores desta doença, “porque estamos conscientes de que o capital humano é a principal razão da nossa existência”, sublinhou.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!