Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Sarkozy denuncia a burqa, “símbolo de subjugação” das mulheres

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, afirmou “solenemente” esta segunda-feira que a burqa não era bem-vinda na França, em pleno debate sobre o uso da vestimenta que cobre a mulher dos pés a cabeça e que o governo não exclui proibir por lei.

A burqa, usada sobretudo no Afeganistão, “não é um símbolo religioso, é um símbolo de subjugação, um símbolo de humilhação” da mulher, afirmou Sarkozy. “Quero dizer solenemente. Não será bem-vinda em território da República francesa”, prosseguiu, durante o primeiro discurso de um presidente francês, desde 1848, ante o parlamento reunido em Versalhes.

Para Sarkozy, não se deve defender a causa errada. Na República, a religião muçulmana deve ser tão respeitada quanto as outras religiões”, sublinhou. “O problema da burqa não é um problema religioso. É um problema de liberdade. É um problema de dignidade da mulher”, estimou o presidente. O debate sobre a burqa segue-se a uma grande polêmica sobre o uso de véus por meninas muçulmanas na sala de aula, o que inflamou a França por uma década.

Em 2004, foi aprovada uma lei que proíbe estudantes de usarem símbolos claros de sua religião em escolas do Estado. Sarkozy mostrou-se favorável a um debate parlamentar. “É a melhor forma de proceder; é preciso que haja um debate e que todos os pontos de vista sejam exprimidos”, estimou. A polêmica aumenta na França depois de uma iniciativa multipardidária; 60 parlamentares propuseram a uma comissão que examinasse a disseminação da burqa e encontrasse meios de combater a tendência.

No ententer de Sarkozy, esta é a maneira certa de proceder. Mas a questão divide o governo, entre os partidários de uma lei para proibir o seu uso e os que temem que o debate advenha numa estigmatização dos muçulmanos e das mulheres que usam a vestimenta.

Num país que possui cerca de 5 milhões de muçulmanos, muitos parlamentares, tanto da direita quanto da esquerda, pedem prudência.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!