Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Sapateiro viola criança na Beira e dá-lhe moeda de cinco meticais

Um sapateiro de nome João Caminho, com mais de 45 anos de idade, está a contas com a Polícia da República de Moçambique (PRM) na cidade da Beira, acusado de violar sexualmente uma criança de onze anos em Inhamudima, bairro de Chipangara, e depois oferecer-lhe uma moeda de cinco meticais como recompensa.

De acordo com o jornal Diário de Moçambique, que cita fonte da PRM, Caminho foi detido e encaminhado ao Gabinete de Atendimento da Mulher e Criança Vítima de Violência para os devidos procedimentos, assim que foi denunciado pelos pais da menor.

Segundo a Polícia, o indiciado encontrou a menina, por volta das 16 horas, em Inhamudima, onde pediu ajuda no carregamento de materiais de sapataria. “Diz-se que ele conhece a criança porque foi vizinho dos pais dela, há quatro anos, naquela zona. Ele levou a menor para sua casa e quando chegou dentro da residência, tirou-lhe as calças e depois violou-a sexualmente”.

Devido ao acto, a menor soltou gritos clamando por socorro, mas não foi a tempo de ser ouvida pela vizinhança e muito por qualquer outra pessoa nas imediações do local onde ocorreu o crime. “Ele vive sozinho e é solteiro, razão pela qual, apesar de a criança ter clamado por socorro, ninguém ouviu o seu grito. Dizem que quando a menor começou a chorar, ele fechou a boca dela com as mãos, temendo que as pessoas ouvissem”, disse.

Depois do acto, o violador libertou a menor e ameaçou-a para que não contasse o sucedido à sua respectiva mãe, mas isso não aconteceu porque ela foi corajosa ao ponto de quebrar o silêncio. Ademais, ela não teria como esconder o caso, porque, segundo contou a respectiva progenitora ontem ao jornal Diário de Moçambique, a menina chegou à casa com a calcinha toda molhada de esperma. “Ela chegou de rastos e a chorar muito. Perguntei o que tinha acontecido e ela disse-me que foi violada pelo nosso antigo vizinho. Ao ouvir isso, não fiz mais nada senão procurar explicações do que realmente teria acontecido. Ele não negou o facto, confirmou que tinha mantido algum contacto sexual com a minha filha. É triste”, disse R. Manuel, para depois acrescentar que dada à gravidade do assunto decidiu contactar a Polícia.

“Tentou agitar-se e apresentou várias versões sobre o caso, mas nenhuma delas me convenceu, porque havia evidências claras sobre o crime. Perguntei-lhe sobre os cinco meticais e ele disse que ofereceu a criança por ter ajudado a carregar a ferramenta”, contou para de seguida pedir que a justiça seja feita: “Ele deve ser punido exemplarmente”.

Esta terça-feira o jornal Diário de Moçambique deslocou-se ao Gabinete de Atendimento da Mulher e Criança Vítimas de Violência para colher mais dados sobre o caso. Em conversa com a nossa Reportagem a criança, cuja identidade decidimos omitir, ela confirmou ter sido violada e ter recebido cinco meticais como recompensa. “Esse tio me agarrou, tirou-me a calcinha e fez coisas de asneira”, disse a menor.

Uma fonte do Gabinete de Atendimento da Mulher e Criança disse que dada à gravidade da situação, a menor terá que ser encaminhada ao Hospital para observações. Este é o segundo caso de violação de uma menor, em menos de uma semana na Beira. O primeiro ocorreu no bairro de Matacuane e envolveu um guarda de obras.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!