Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Samora Machel foi assassinado pelo apartheid – Guebuza

Africanos e árabes devem trabalhar em parceria – Guebuza

O Chefe do Estado moçambicano, Armando Guebuza, reafirmou esta sexta-feira, em Lisboa, acreditar que o primeiro Presidente de Moçambique independente, Samora Machel, foi assassinado pelo regime do apartheid sulafricano. Armando Guebuza falava aos jornalistas moçambicanos numa conferência de imprensa, na capital portuguesa, que marcou o fim da sua visita de Estado, de dois dias, a Portugal.

O Presidente Guebuza respondia a uma pergunta da AIM sobre a nova versão da morte de Samora Machel, publicada no livro do jornalista e historiador português, José Milhazes, lançado na Quinta-feira, em Lisboa. José Milhazes é actualmente correspondente da Agência Lusa em Moscovo, capital russa. “Não posso comentar sobre um livro que não li, não tenho bases para poder comentar. Aquilo que posso reafirmar é que Samora Machel foi assassinado pelo apartheid”, disse o Chefe do Estado moçambicano.

Cerca de 24 anos após o desastre de Mbuzini, oficialmente ainda não há conclusões definitivas sobre o que terá realmente acontecido na fatídica noite de 19 de Outubro de 1986 quando uma aeronave do tipo “Tupolev-134A”, sob os comandos de uma tripulação cedida ao governo de Moçambique pela então União Soviética, embateu contra a região montanhosa dos Libombos, em território sul-africano, causando a morte de Samora Machel e de outras 33 pessoas que integravam a comitiva presidencial.

Quando ocorreu a queda do avião, Samora Machel e comitiva regressavam da Zâmbia para Maputo. Contudo, a nova versão publicada no livro de José Milhazes, diz que queda do avião “Tupolev-134A” foi causada por desleixo da tripulação soviética da aeronave. “Não escrevi o livro sobre a nova versão da morte de Samora Machel para provocar escândalo. Fui buscar o que existe na Rússia” sobre o caso, sublinhou José Milhazes, falando no acto do lançamento do seu mais recente livro intitulado “Samora Machel – Atentado ou Acidente?”

A obra, lançada pela Alêtheia Editores, já está a venda em Portugal. “Penso que consegui responder (a questão do título do livro), pois não se tratou de um atentado, mas sim de um acidente. O avião caiu devido a um erro humano, mais propriamente, ao desleixo da tripulação do avião presidencial, como disse um dos técnicos”, referiu o jornalista. Contudo, tudo indica que o avião presidencial terá sido desviado para o território sul-africano por um VOR (instrumento de ajuda à navegação aérea) falso, colocado por forças do extinto regime do apartheid na África do Sul.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!