Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Registados 212 casos criminais na semana passada

A Polícia moçambicana (PRM) registou, durante a semana de sete a 13 de Março corrente, 212 crimes em todo o país, contra os 309 registados em período homólogo do ano anterior, o que representa uma redução em 97 casos, o equivalente a 31 por cento em termos comparativos.

O facto vem inserido num comunicado do Comando Geral da Polícia distribuído hoje a AIM, que refere que, em conexão com estas ocorrências, 177 indivíduos estão a contas com a corporação por terem se envolvido em crimes contra a propriedade, pessoas e ordem e tranquilidade públicas.

A Polícia alerta para o facto de se tratar de detenções preventivas que ainda carecem de legalização pelos juízes de instrução, facto que poderá alterar ou não as medidas de coação tomadas porque tudo ainda esta dependente da análise caso por caso pelos elementos da justiça.

No comunicado, a Polícia indica que das 212 ocorrências, o crime contra a propriedade lidera a lista com 133 casos, o crime contra pessoas figura em segundo lugar com 69 e, por último, figura o crime contra a ordem e tranquilidade pública com 10 casos.

Dos 133 casos de crimes contra a propriedade, três foram cometidos com recurso a mão armada, sendo dois na cidade de Maputo e um na província do mesmo nome.

Em conexão com o uso e porte ilegal de armas de fogo, as forças da lei e ordem detiveram um indivíduo na cidade de Maputo, dois no distrito de Marracuene, na província do mesmo nome, e três no distrito de Zavala, na província de Inhambane.

A Polícia deteve também 409 violadores de fronteira, dos quais 170 zimbabweanos, 165 moçambicanos, 26 tanzanianos, 22 malawianos e cinco zambianos. Este grupo foi engrossado por imigrantes clandestinos etíopes num total de 19 e dois somalis.

Numa outra acção coordenada com sapadores das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM), a Polícia desactivou em Dombe, distrito de Sussundenga, na província de Manica, um esconderijo de armas, tendo destruído diverso material bélico.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!