Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
Publicidade

Quase 1 ano depois encerrada a primeira base militar da Renamo

nyusi-momade-ddrSavane

Dez meses após a assinatura do terceiro Acordo de Paz “foi oficialmente encerrada a primeira base militar da Renamo”, anunciou no passado sábado (13) o Enviado Pessoal do Secretário-Geral das Nações Unidas para Moçambique, assinalando atrasado marco no Processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (DDR) dos 5 mil homens do movimento de guerrilha.

Por Redacção

“Hoje, tenho o prazer de informar que, no âmbito do reinício das actividades do DDR, foi oficialmente encerrada a primeira base militar da Renamo. Uma equipa de inspecção devidamente equipada, incluindo representantes do Governo, da Renamo e da Comunidade Internacional, partiu a pé do posto administrativo de Dondo (província de Sofala) para inspeccionar a base da Renamo situada nas proximidades, a duas horas e meia de distância. A equipa de inspecção encontrou a base sem pessoal, armamento e outros materiais perigosos”, declarou Mirko Manzoni.

O encerramento da primeira base da Resistência Nacional de Moçambique (Renamo) ocorre quase um ano após o início de um processo que foi acordado estar concluído até 21 de Agosto de 2019 pelos presidentes Filipe Nyusi e Ossufo Momade.

Quando o DDR iniciou simbolicamente a 29 de Julho de 2019 foram estimados em 5 mil os guerrilheiros a serem desmobilizados, contudo até hoje pouco mais de uma centena entregou as armas.

O Enviado Pessoal do Secretário-Geral das Nações Unidas para Moçambique perpectivou que “continuaremos a trabalhar no sentido de encerrar todas as bases e de assegurar uma paz definitiva”, mas nenhum novo prazo foi estabelecido, pelo menos publicamente.

Por outro lado não ficou claro que tratamento será dado aos guerrilheiros que deixaram de ser fiéis a Ossufo Momade e juntaram-se a auto-proclamada Junta Militar da Renamo e tem protagonizado ataques armados na Região Centro de Moçambique.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!