Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Qualificação para o CAN 2012: Botswana o primeiro apurado

A seleção nacional de futebol do Botswana disputará a Copa Africana de Nações pela primeira vez em 2012. O país foi o primeiro a garantir a classificação para o torneio, no qual já estão garantidos os anfitriões Guiné Equatorial e Gabão, graças à vitória sobre o Chade. Além dos tswanas outras dez seleções estão com boas chances de classificarem-se graças a sua invencibilidade nos jogos das eliminatórias já disputados, são as seleções de Burkina Fasso, Cabo Verde, Costa do Marfim, Gana, Guiné, Malawi, Senegal, África do Sul, Sudão e Uganda.

No Grupo A de apuramento uma cabeçada de Souleymane Diamountene foi suficiente para dar a Mali a vitória por 1 a 0, em casa, sobre o Zimbábwe, no sábado(26), mas o técnico Alain Giresse disse que ainda é possível crescer. “Podemos e precisamos de melhorar para disputar a Copa das Nações em janeiro”, afirmou o ex-médio da seleção francesa.

A seleção de Cabo Verde continua um ponto à frente na luta pela sua primeira participação no torneio. A vitória enfática dos cabo-verdianos por 4 a 2 sobre a última classificada Libéria deu indícios de que o grupo deverá ser decidido quando Mali enfrentar o país lusófono em Bamako no mês de setembro.

Depois de um ano fora da seleção nigeriana, perdendo inclusive a chance de disputar a Copa do Mundo da FIFA 2010, Ike Uche retornou no domingo com dois golos para ajudar as superáguias a golearem a Etiópia por 4 a 0 em Abuja em jogo a contar para o Grupo B. Os outros dois tentos foram anotados por Peter Utaka, o primeiro deles antes de um minuto de jogo. “Estou muito feliz por voltar depois de tanto tempo e oferecer algo à equipe”, afirmou Uche. A Nigéria está um ponto atrás da Guiné, que precisou esperar até os cinco últimos minutos para empatar o confronto com Madagascar no domingo(27). Mamadou Dioulde Bah garantiu o importante ponto depois de os malgaxes abrirem o marcador aos 13 minutos com Yvan Rajoarimanana.

A Guiné conseguiu empatar mesmo depois da expulsão de Karamoko Cissé no início do segundo tempo por entrada violenta sobre o guarda-redes de Madagascar.

Impedida de jogar em Trípoli, a Líbia teve que fazer de sua casa o Mali, onde recebeu na capital Bamako as Comores e venceu por 3 a 0. E os líbios pareciam jogar em casa pois 35 mil adeptos estiveram nas bancada do estádio 26 de Março a apoiar a seleção cujo país atravessa um conflito armado entre o governo e manifestantes populares pró democracia. Walid El Khatroushi abriu o placar aos 20 minutos da primeira parte, Ahmed Wafa fez o segundo a passagem do minuto 68 e Jamal Abdallah Mohamed fez o 3 a 0 final.

Com esta vitória a Líbia passa a liderar o Grupo C com 7 pontos um a mais do que a Zâmbia que venceu Moçambique.

Em jogo do Grupo D, cerca de 80 mil adeptos acompanharam em Anaba a vitória da Argélia sobre Marrocos por 1 a 0. O resultado, conquistado com um golo de pênalti de Hassan Yebda, gerou um empate quádruplo na classificação.

A Tanzânia também chegou a quatro pontos ao derrotar a República Centro-Africana numa reviravolta no marcador em Dar-es-Salaam. Vianney Mabide abriu o marcador para os visitantes, mas Shabaan Nditi empatou para os tanzanianos. No último minuto, Mbwana Samata aproveitou um pontapé de canto para marcar de cabeça o golo da vitória e redimir-se de um erro incrível alguns minutos antes.

O Senegal manteve os 100% de aproveitamento, no Grupo E, mas precisou de um golo de Demba Ba nos minutos de compesação para derrotar os Camarões no sábado. Os senegaleses chegaram a nove pontos, cinco à frente dos camaroneses, detentores de cinco títulos continentais e que correm sério risco de não disputarem a próxima Copa Africana de Nações. O Senegal não derrotava os leões indomáveis há 21 anos, e a vitória aconteceu num momento em que os adeptos locais pareciam ter perdido a esperança.

Já a República Democrática do Congo venceu a primeira partida sob o comando de Robert Nouzaret com um placar de 3 a 0 sobre as Ilhas Maurícias em Kinshasa. Dois dos golos aconteceram na transformação de grandes penalidades: Lomana Tresor LuaLua marcou o seu retorno à seleção convertendo aos cinco minutos, e Yves Ilunga anotou mais uma penalidade aos 23 da etapa final. O outro tento saiu dos pés de Zola Matumona no início do segundo tempo.

No Grupo F, Alain Traoré marcou três golos para ajudar Burkina Fasso a conquistar a segunda vitória consecutiva e chegar à liderança. A goleada sobre a Namíbia foi completada com um golo contra de Richard Gariseb. Os burquinabes têm seis pontos no grupo de três seleções, mas precisarão terminar a campanha com dois jogos longe de casa. A Namíbia terá duas partidas nos seus domínios, mas está em último lugar sem nenhum ponto e com um saldo de golos bastante negativo. A seleção de Gâmbia, que não jogou, tem três pontos.

O Egito corre grande risco de não poder defender o seu título no próximo CAN. “Temos menos de 50% de chance, e só podemos tentar”, afirmou o auxiliar técnico Shawky Gharib depois da derrota no sábado (26) frente a África do Sul, que lidera o grupo com um ponto de vantagem sobre Níger. Os faraós jogaram melhor em Johanesburgo, mas perderam a partida com um golo de Katlego Mphela no último minuto e agora estão na última posição do Grupo G. O golo aconteceu na sequência de um passe perfeito de Anele Ngconga para o veloz Mphela, que chutou cruzado na saída do experiente guarda-redes Essam Al Hadari.

Já a seleção de Níger, que havia surpreendido ao derrotar o Egito por 1 a 0 em outubro, conquistou mais três pontos na vitória de 3 a 1 sobre Serra Leoa, mas precisou dar uma cambalhota no jogo depois de Mohamed Bangoura abrir o placar para os serra-leoneses. Sem o atacante Moussa Maazou, o selecionado da casa recuperou-se no segundo tempo e marcou três golos nos últimos 25 minutos.

A grande importância de Didier Drogba para a Costa do Marfim foi mais uma vez comprovada com os dois golos anotados no difícil confronto contra Benin em campo neutro na cidade de Acra no domingo em jogo do Grupo H. Um erro do guarda-redes Daniel Yeboah permitiu que os beninenses abrissem o marcador, e foi só no fim do primeiro tempo que Drogba conseguiu empatar com um remate que bateu no poste antes de superar o arqueiro estreante Guillaume Bemenou. Depois de muitas chances perdidas pelos companheiros no segundo tempo, o jogador do Chelsea voltou a balançar as redes de cabeça aos 29 minutos.

Já a seleção de Ruanda venceu por 3 a 1 o confronto regional contra o Burundi em Kigali no sábado(26), mas os dois países ainda ocupam as últimas posições. Jean-Claude Iranzi abriu o placar aos 34 minutos, e Papy Faty empatou dois minutos depois. Os ruandeses definiram a vitória com Elias Uzamukunda de pênalti e Eric Gasana.

No Grupo I a eficiência foi a marca da vitória de Gana sobre o anfitrião Congo em Brazzaville no domingo. Prince Tagoe fez o primeiro aos 20 minutos, e Dominic Adiyiah, companheiro dele no Partizan de Belgrado, anotou o segundo de cabeça no fim da primeira etapa. Na etapa final, Sulley Muntari fez o terceiro com um remate fortíssimo.

Gana supera no saldo de golos o Sudão, que goleou a Suazilândia em casa por 3 a 0. As duas seleções estão empatados em pontos. Os golos do Sudão no domingo(27) foram marcados por Muhamed Al Tahir e Mohamed Ahmed Bisha, este último duas vezes. A Suazilândia, que estreou o técnico Bizzah Mkhonta, perdeu as três partidas até agora disputadas nestas eliminatórias.

A seleção do Uganda vem ameaçando voltar à Copa Africana há algum tempo, mas nunca esteve em tão boas condições quanto depois da vitória de sábado por 1 a 0 frente a Guiné-Bissau, a jogo do Grupo J. Denis Onyango defendeu um pênalti, e David Obua marcou o golo da vitória ainda no primeiro tempo, deixando os ugandenses três pontos à frente dos quenianos, que derrotaram Angola por 2 a 1 em Nairóbi no sábado(26).

Manucho abriu o placar para os angolanos, mas Jamal Mohamed empatou e McDonald Mariga fez o golo da vitória do Quênia no último minuto. Mariga foi expulso por tirar a camisete na comemoração e não poderá jogar o confronto do em Luanda no mês de junho.

No Grupo K, Jerome Ramatlhakwane que não atua profissionalmente há mais de um ano marcou o seu quinto golo nas eliminatórias garantindo a vitória por 1 a 0 sobre o Chade e a primeira classificação do Botswana à Copa Africana de Nações. O país tem 16 pontos em seis jogos num grupo de cinco seleções.

O segundo lugar é de Malawi, que contou com o retorno de Moses Chavula depois de uma longa lesão para anotar o único golo do confronto contra o Togo. O golo foi marcado aos 18 minutos no meio de um dilúvio em Blantyre depois do guarda-redes Simplex Nthala defender um pênalti do togolês Amewou Komlan. Os togoleses, que apostavam na reestreia do técnico Stephen Keshi, estão eliminados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!