Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
ADVERTISEMENT

“Climategate”: nova investigação absolve cientistas de má fé

Uma comissão independente que examinou as acusações de suposta alteração de dados científicos por parte de um dos centros de investigação sobre o clima mais respeitados do mundo concluiu esta quarta-feira não ter encontrado nenhuma prova de má fé.

Os cientistas da Unidade de Pesquisas sobre o Clima (CRU, na sigla em inglês), da universidade britânica de East Anglia, foram acusados, em novembro passado, de suposta manipulação de dados para extrapolar o efeito antropogênico (provocado pelo homem) sobre as mudanças climáticas.

O caso, apelidado de “Climategate” pela imprensa britânica, explodiu às vésperas da cúpula das Nações Unidas sobre o clima, em Copenhague, com a divulgação de centenas de mensagens eletrônicas roubadas de cientistas do centro e de seu diretor, Phil Jones que, segundo os céticos do aquecimento global, demonstravam que eles alteraram dados para sustentar suas teorias. Mas, a comissão independente que realizou um exame detalhado de 11 estudos publicados pela CRU durante 20 anos não encontrou “nenhuma prova de qualquer má prática científica deliberada” e concluiu que os cientistas chegaram às suas conclusões “honestamente”.

O presidente do painel, lorde Oxburgh, informou simplesmente que os investigadores consideraram que os cientistas poderiam ter utilizado melhores métodos estatísticos no momento de analisar alguns de seus dados, mas que era improvável que isto tivesse causado alguma diferença em seus resultados. Após conhecer as conclusões, a Universidade de East Anglia disse que a investigação demonstrou que os ataques dos últimos meses contra sua integridade científica eram “totalmente injustificados”.

Em março, outra investigação realizada pela Comissão de Ciência e Tecnologia do Parlamento britânico já tinha absolvido os cientistas ao concluir que não existia nenhuma prova de que o centro ou seu diretor teriam alterado dados para apoiar suas teses.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Content is protected !!