Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Protesto na China deixa 16 mortos e o governo culpa “quadrilha terrorista”

A polícia chinesa matou a tiros 14 pessoas na cidade de Kashgar, na antiga Rota da Seda, durante um protesto no qual dois policiais também morreram, informou o governo local, esta segunda-feira (16).

Esse é o mais recente protesto violento na afastada região de grande população muçulmana de Xinjiang, no oeste da China. O governo chinês culpa militantes islâmicos de planearem uma guerra santa no local.

Ao descrever o incidente que aconteceu na noite de domingo, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores Hua Chunying quase culpou os militantes islâmicos directamente, mas corrigiu-se a tempo e disse que uma “violenta quadrilha terrorista” atacou a polícia com explosivos.

“Novamente mostraram a verdadeira face do terrorismo violento. Eles devem ser condenados por todas as pessoas que amam a paz e a estabilidade”, disse a porta-voz a jornalistas. “Essa conspiração não recebe apoio popular e está fadada ao fracasso.”

O governo regional disse que a polícia foi atacada por uma quadrilha lançando explosivos e empunhando facas quando tentava prender “criminosos suspeitos” numa vila próxima a Kashgar. “A polícia respondeu decisivamente”, disse o governo num breve comunicado, acrescentando que duas pessoas foram detidas e investigações já estão a ser conduzidas.

Num episódio violento similar, pelo menos nove civis e dois policiais morreram quando um grupo de pessoas armadas com machados e facas atacou uma delegacia também perto de Kashgar no mês passado, segundo a mídia estatal.

Xinjiang tem sido cenário de numerosas manifestações nos últimos anos, que Pequim diz ser responsabilidade do grupo separatista Movimento Islâmico do Turquestão do Leste, mesmo que os especialistas e os grupos de direitos humanos lancem dúvidas sobre a existência de um grupo coeso.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!