Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Produtores recusam uso de sementes melhoradas

Produtores do sector familiar na província de Nampula mostram alguma tendência de resistência à adopção de novas tecnologias agrícolas, particularmente sementes melhoradas cujo rendimento por hectare provou ser significativo. A situação inquieta sobremaneira o governo local, considerando-a uma ameaça aos seus esforços visando elevar os níveis de produção e produtividade na presente campanha.

A maior contestação dos produtores relaciona-se com a semente de milho da variedade matuba adoptada no quadro do Plano de Acção de Produção de Alimentos (PAPA), uma estratégia do governo que conta com o suporte financeiro de parceiros internacionais visando atingir níveis de rendimentos satisfatórios para segurança alimentar.

O chefe dos serviços provinciais de Agricultura, João Duarte, contou um episódio vivido no distrito de Murrupula em que os produtores se recusam a usar a semente de milho da variedade matuba sob pretexto de que, após a sua germinação, as plantas crescem de forma desordenada, o que, no seu entender, contraria os conhecimentos assimilados em ocasiões anteriores relacionadas com as técnicas para obtenção de bons rendimentos daquela cultura.

Uma das consequências directas da recusa dos produtores em usar a semente melhorada de milho da variedade matuba é a acumulação desta em vários distritos potenciais produtores daquele cereal, sob o risco de se deteriorar e não poder, portanto, resistir para a campanha seguinte.

Segundo João Duarte, o exemplo mais flagrante desse cenário vem do distrito de Lalaua, onde o sector provincial da Agricultura alocou cerca de 80 toneladas de sementes melhoradas, com destaque para a de milho que domina.

O governo de Lalaua protestou o envio de sementes melhoradas de milho, alegando que os produtores não aderem ao seu uso pelas referidas razões e agora estamos a tentar identificar agentes económicos para fazer a sua comercialização junto de interessados – reiterou a fonte, explicando que estas situações ocorrem um pouco por toda a província.

José Varimelo, director provincial de agricultura em Nampula, referiu que a semente tradicional que os produtores aprovisionam para fazer sementeiras nas campanhas subsequentes regista fraco rendimento por hectare. Não obstante esta realidade ser do seu conhecimento, os produtores não abdicam daquelas variedades de sementes.

O governador Felismino Tocoli instou as autoridades agrárias provinciais a desenvolver esforços no sentido de criar motivação no seio dos produtores no sentido de adoptarem as novas tecnologias de agricultura, e, simultaneamente, observou aos expansionistas para criarem um campo de multiplicação para demonstração dos resultados da aplicação das sementes melhoradas

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!