Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Produção de soja esta a gerar riqueza em Gúruè

A produção de soja no distrito do Gúruè, província da Zambézia, Centro de Moçambique, está a ter um impacto positivo no seio dos agricultores, alguns dos quais, após a colheita, obtêm rendimentos superiores a 300 mil meticais (pouco mais de 11 mil dólares americanos).

“No Gúruè, temos produtores de soja que depois de vender a sua produção e pagar todas as despesas inerentes ao processo produtivo, ficam com 300 mil meticais líquidos”, disse o chefe dos Serviços Provinciais de Agricultura na Zambézia.

Luís Tomo referiu que com a produção de soja, os agricultores estão a melhorar as suas condições de vida, sobretudo através da construção de casas com material convencional e aquisição de meios de transporte, para além da melhoria da dieta alimentar das famílias.

Nos últimos tempos, assiste-se no Guruè a um forte envolvimento de agricultores na produção de soja, aparentemente devido à garantia existente de mercado para a sua colocação a preços favoráveis, que em alguns casos ultrapassam os 13 meticais/ quilograma.

No mercado internacional, o preço é de cerca de 450 dólares norteamericanos/ tonelada. Segundo Tomo, “a agricultura dá dinheiro. A soja, o amendoim, o milho e o gergelim são culturas promissoras na província da Zambézia e têm mercado assegurado”, disse.

Nos últimos tempos, a produção de soja tem vindo a ganhar notoriedade em Moçambique, particularmente nas províncias do Centro e Norte do país, mercê dos incentivos concedidos pelo Governo e parceiros.

Tais incentivos incluem, fundamentalmente, o fornecimento de sementes melhoradas aos produtores, o que permite que a produção de soja registe já subidas bastante significativas nas províncias produtoras de soja.

Dados do Ministério da Agricultura indicam que desde a época agrícola 2003- 2004, quando se iniciou a produção de soja, os rendimentos médios por hectare aumentaram cerca de 100 por cento, ou seja, passaram de 500 quilogramas/hectare para 1000 quilogramas/hectare.

Por seu turno, a área de produção também tem vindo a crescer consideravelmente, passando de 500 hectares na campanha 2003-2004 para 6200 hectares na campanha finda, uma vez que os pequenos produtores que começaram com menos de um hectare, aumentaram as suas áreas para três ou quatro hectares.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!