Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Primeira-Ministra enaltece papel das instituições publicas

A P r i m e i r a – M i n i s t r a moçambicana, Luísa Diogo, instou as empresas publicas a realizarem um trabalho com impacto notável no plano económico e social com vista a promoção de um desenvolvimento equilibrado do pais.

Luísa Diogo falava ontem, sexta feira em Maputo, na cerimonia de tomada de posse dos novos presidentes dos Conselhos de Administração (PCA) das Empresa Aeroportos de Moçambique e Correios de Moçambique e do presidente da Academia de Ciências de Moçambique, esta ultima uma instituição recémcriada.

Tratam-se de Manuel Veterano (Aeroportos de Moçambique) e Luís José Rego (Correios de Moçambique), bem como de Orlando António Quilambo (Academia de Ciências de Moçambique).

Manuel Veterano, antigo PCA da Empresa Publica Rádio Moçambique (RM), substitui do cargo de PCA da Empresa Aeroportos de Moçambique, Diodino Cambaza, recentemente acusado de gestão danosa, enquanto Luís Rego toma o lugar outrora ocupado por Angélica Dimas.

Enaltecendo o papel fundamental que desempenham nos avanços económico e social do pais, a Primeira-Ministra vincou que as instituições publicas só podem alcançar os resultados que pretendem se os seus gestores saberem transmitir os conhecimentos, saber ouvir e primarem por uma actuação dinâmica, motivada e empreendedora com relação aos planos iniciados e os demais a serem perspectivados.

Falando em particular sobre a Academia de Ciências de Moçambique, Luísa Diogo disse que esta instituição nova tem a missão de promover o progresso da ciência e tecnologia para o desenvolvimento económico e social do pais, devendo funcionar também como fonte de informação sobre o conhecimento para os órgãos de decisão politica.

Luísa Diogo revelou que estão inscritos para a plenária da constituição desta Academia mais de 90 doutorados moçambicanos de vários domínios de conhecimento, o que já e um indicador da independência do pais e do seu processo de desenvolvimento.

“A Academia tem responsabilidades para com a comunidade académica e cientifica, com o Governo e a sociedade em geral. Espera-se que ela incentive o surgimento de uma nova geração de cientistas brilhantes, devendo, por isso, incrementar a qualidade de pesquisa cientifica e da educação”, disse.

Por outro lado, a Primeira-Ministra instruiu a empresa Correios de Moçambique a redefinir as suas estratégias e planos de acção na arena nacional para acompanhar a evolução das novas tecnologias de comunicação e informação, apontando que a prioridade vai para a continuidade do processo de reestruturação e reposicionamento da empresa no mercado.

Luísa Diogo apontou, em parceria com outras entidades, a captação de poupanças, criação de telecentros, transferências de valores e prestação de serviços de entrega ao domicilio como algumas das acções a serem desempenhadas pelos correios em beneficio das populações, em particular as das zonas rurais.

Quanto a Aeroportos de Moçambique, Luísa Diogo disse que, apesar de alguns avanços, os desafios são ainda enormes, tendo em conta que o momento dita um novo posicionamento no plano estrutural e organizacional para interagir cada vez mais com outras esferas. Apontou como prioritário acelerar a expansão e a modernização dos aeroportos e a realização de um trabalho aturado para o restabelecimento da imagem da sua direcção que recentemente foi abalada.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!