Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Preço do algodão sobe no mercado externo no 1o trimestre

Nos primeiros três meses de 2014, o preço do algodão-fibra no mercado internacional disparou para USD 2000/ tonelada, situação que abre boas expectativas no que respeita às receitas de expor- tações do algodão moçambicano até finais do ano.

Em igual período de 2013, o preço do algodão-fibra no mercado externo foi de USD1982 por tonelada, segundo uma fonte documental do Instituto do Algodão de Moçambique (IAM).

Essa tendência de subida do preço regista-se desde Outubro de 2013, com uma média mensal de cerca de USD1922/ tonelada do algodão-fibra, salienta aquele departamento subordinado ao Ministério da Agricultura (MINAG).

Refira-se que ao longo do primeiro trimestre de 2014 Moçambique exportou perto de 12 mil toneladas de algodão-fibra, sendo que grande parte do volume provém da campanha anterior de 2012/13, realça o IAM, acrescentando que Ásia, com uma quota de 79%, continua a ser o maior mercado do chamado ouro branco.

Entretanto, projecções para até finais de 2014 apontam para a exportação de um volume de mais de 41 mil toneladas de algodão-fibra e uma receita na ordem dos USD 62,7 milhões, de acordo com o IAM.

Pragas

Entre Janeiro e Março do corrente ano, a área total de cultivo de algodão estimada em 150 mil hectares na campanha agrícola de 2013/14 registou “níveis moderados de infestação de pragas”, particularmente, a Cochonilha, um parasita que se alimenta de seiva vegetal que fustigou o sector na safra anterior de 2012/13.

No período em análise, a província de Sofala foi a única que registou a ocorrência daquele parasita na maioria das áreas de cultivo do algodão, salientou o Instituto do Algodão de Moçambique, realçando que o fenómeno não afectou as projecções de produção naquela região do Centro do país, concretamente, no distrito de Nhamatanda.

Por outro lado, o IAM está a realizar ensaios de adaptabilidade de 11 variedades de semente de algodão provenientes da Turquia, Burkina Faso e Zimbabué, com vista a conhecer o potencial produtivo de cada uma comparando com as que estão a ser usadas no país.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!