Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Potências dispostas a abandonar o dólar em transações do petróleo

Os países árabes do Golfo, China, Rússia, Japão e França estudam a possibilidade de trocar o dólar nas transações do petróleo por uma cesta de moedas que incluiria o iene, o yuan, o euro, o ouro e uma futura moeda do Golfo, revela o jornal britânico The Independent. 

“Ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais celebraram reuniões secretas na Rússia, China, Japão e Brasil para trabalhar no projeto, que significaria que o petróleo não seria mais cotado em dólares”, afirma o jornal, que alega ter confirmado as informações com fontes bancárias em Hong Kong. O Independent destaca ainda que o Brasil mostrou interesse em colaborar com pagamentos do petróleo que não sejam em dólares, junto com a Índia.

“Os projetos poderiam ajudar a explicar a súbita alta dos preços do ouro (que se aproximaram em Setembro de valores recordes), mas prevêem também uma extraordinária transição dos mercados do dólar nos próximos nove anos”, afirma o jornal. “O governo dos Estados Unidos sabe que estas reuniões aconteceram, mas desconhece os detalhes, e certamente vai combater esta intriga internacional que inclui aliados até agora leais, como o Japão e os países árabes do Golfo”, prevê. Até que o dólar seja abandonado, a moeda de transição pode ser o ouro, segundo fontes de bancos chineses.

A transição implicaria quantidades colossais: Abu Dhabi, Arábia Saudita, Kuwait e Qatar possuem conjuntamente enormes reservas em dólares. Os seis países do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) – Arábia Saudita, Bahrein, Kuwait, Qatar, Omã e Emirados Árabes Unidos – têm o plano de lançar uma moeda única em 2010, que estaria representada na cesta de divisas que destronaria o dólar.

No entanto, o ministro do Petróleo do Kuwait, xeque Ahmad Abdallah Al-Saba, negou a intenção dos países árabes de abandonar o dólar. “Nunca discutimos ou propusemos isto”, afirmou, em referência às monarquias árabes petroleiras do Golfo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!