Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Portugal reafirma cooperação com Moçambique

O Governo português reafirmou na quarta-feira o desejo de continuar a cooperar com Moçambique e ver reforçada a amizade entre os dois países.

O desejo nesse sentido foi reafirmado durante um breve encontro de cortesia que a Primeira-Ministra moçambicana, Luísa Diogo, manteve com o homologo português, na residência oficial de José Sócrates, na capital portuguesa, Lisboa.

“Foi um encontro muito produtivo, uma reafirmação por parte do Primeiro-Ministro de Portugal quanto a cooperação com Moçambique, a grande amizade que ele tem com o nosso pais e uma mensagem muito forte para o Presidente Armando Guebuza”, disse Luísa Diogo no final do encontro, falando a AIM, em Lisboa.

A Primeira-Ministra acrescentou que se tratou do reafirmar da vontade de aprofundar as relações já existentes, “especialmente na componente comercial, do ponto de vista do investimento privado, financiamento de infra-estruturas, enfim, no desenvolvimento dos dois países”.

Questionada pela AIM se, efectivamente, José Sócrates continua a apostar o seu empenhamento nas relações com Moçambique, uma vez que dirige um governo do PS (Partido Socialista) minoritário saído das legislativas de 27 de Setembro deste ano, Luísa Diogo sublinhou que “ele (José Sócrates) continua muito empenhado e com muito cometimento nas relações com Moçambique e na grande amizade pessoal que tem com o Presidente Guebuza”.

Na terça-feira, Diogo enalteceu o Governo português por nos últimos anos a relação com Moçambique não ter dogmas relativamente ao tipo de investimento que é apresentado como necessidade pelo país aonde vai investir. Numa entrevista ao diário luso “Publico”, a margem do Fórum Global China Business Meeting, terminado formalmente esta quarta-feira, a Primeira-Ministra apelou aos parceiros internacionais no sentido de abrir cada vez mais espaço para uma cooperação que permita a realização de investimentos em Moçambique.

“É necessário olhar para a prioridade do pais de uma forma aberta, não trazer uma agenda prévia. O pais deve dizer eu quero fazer isto”, disse. Actualmente, a China é um dos poucos países do mundo que não tem dogmas em relação ao tipo de investimento que é apresentado como necessidade pelo país aonde vai investir, o que acelera o entusiasmo da cooperação com Moçambique, em particular, e com Africa, em geral. Luísa Diogo encontra-se em Portugal desde Domingo para participar no Fórum Global China Business Meeting, tendo sido uma das oradoras no painel sobre as relações da China com os países lusófonos.

O próximo encontro vai ter lugar em Brasil. Num discurso na noite de terça-feira, no jantar de gala que marcou o término formal do encontro, Diogo apelou para maior envolvimento no investimento em Moçambique, aproveitando o actual clima de paz e excelente ambiente de negócios.

O Fórum de Lisboa foi promovido pela empresa suíça Horasis e coorganizado pelo Governo português, através da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) e do Turismo de Portugal, assim como várias organizações chinesas, entre as quais a China Entrepreneurs Club e a China Federation for Industrial Economics. O Global China Business Meeting é o principal encontro anual de líderes empresariais chineses com os seus parceiros internacionais.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!