Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Porto da Beira mais equipado

O porto da Beira, na província de Sofala, centro de Moçambique, acaba de ver reforçada a sua capacidade operacional e de produtividade, na sequência da chegada de mais equipamentos adquiridos no quadro do plano de investimentos realizados no ano passado pela empresa Cornelder, que gere aquela infra-estrutura estratégica para toda região da África Austral.

São no total 15 tug-master, ou seja, máquinas de reboque que chegaram semana passada ao porto da Beira para atender as actividades especificamente nos terminais de contentores e de carga-geral.

De acordo com Félix Machado, gestor de marketing da empresa Cornelder, trata-se de equipamentos de fabrico norte americano, mercado onde foram adquiridos, mas montados na República Popular da China.

No início do ano, conforme veiculamos na devida altura, o porto da Beira recebeu igualmente novos equipamentos destinados ao reforço da sua capacidade operacional e melhoria da produtividade, constituídos por seis empilhadeiras também montadas na República Popular da China.

A Cornelder investiu só no ano passado 15 milhões de dólares em equipamentos, os quais dado o período de demora que leva a sua concepção e montagem só agora estão a começar a chegar. Trata-se de equipamentos produzidos mediante encomenda e cuja fase de construção leva entre seis a oito meses no mínimo.

Anualmente a Cornelder realiza novos investimentos, tanto em equipamentos assim como em infra-esturas e introdução de novos processos operacionais que incluem a formação do potencial humano disponível.

No domínio de infra-estruturas, refira-se, está em curso na zona portuária a extensão de áreas de armazenagem. Nos últimos tempos, entretanto, o porto da Beira regista incremento no mansueamento de cargas, nos dois sentidos, nomeadamente importação e exportação.

Essa pressão será ainda maior nos próximos tempos, sobretudo quando estiverem concluídos os trabalhos em curso de dragagem do canal de acesso, que vão conferir maior autonomia ao porto no que concerte ao acesso de navios de grande tonelagem.

A administração da Cornelder está consciente da dinâmica em curso e desafia estar preparado para atender a demanda.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!