Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Populares usam solos contaminados com pesticidas para matar peixe em Nicoadala

Populares residentes na área do regadio de Muziba, no distrito de Nicoadala, na província central da Zambézia, lançam solos contaminados com pesticidas nas águas dos rios, lagos e outros locais, para matar peixe que é vendido no mercado local.

Samson Cuamba, da Direcção Nacional de Gestão Ambiental, na província de Maputo, ao divulgar este facto, avançou que os populares retiram “o seu material de pesca”, de um local onde em tempos foram enterrados pesticidas que uma vez degenerados acabaram contaminando os solos.

Para combater este mal que periga a vida de muitas pessoas, em todo o pais, Samson disse que, a partir de Agosto próximo, amostras de solos e de água suspeitas de contaminação com químicos serão recolhidas para exames, em onze áreas já identificadas nas províncias de Maputo, Gaza, Sofala, Nampula, Zambézia, Cabo Delgado e Niassa.

Na província de Maputo são três as áreas suspeitas, disse a fonte apontando como exemplo o Centro de Tratamento de Lixo da Matola, onde a Agência Dinamarquesa para o Desenvolvimento Internacional (DANIDA) concentrou os pesticidas recolhidos em vários pontos do país ao abrigo de um projecto que decorreu entre 1999 e 2002.

“Mas também temos uma situação delicada em Cabo Delgado, no regadio de N’guri, onde soubemos que há pesticidas e fertilizantes enterrados junto a algumas fontes de água”, explicou Cuamba citado pelo jornal “Noticias”.

Segundo Cuamba, o outro ponto identificado localiza-se na área da antiga Direcção Provincial da Agricultura de Maputo, também na Matola, onde em tempos foram enterrados pesticidas obsoletos e também na localidade de Timanguene, no distrito de Magude.

“Em qualquer destas áreas suspeita-se que tanto os solos como as águas estejam contaminados com pesticidas, razão porque foram arroladas para a recolha de amostras destinadas a aferir a gravidade da situação”, explicou.

Na região de Chókwè, província de Gaza, Cuamba apontou uma zona onde há cerca de dois anos se despenhou uma avioneta que se encontrava em missão de pulverização que espalhou na zona produtos químicos que transportava a bordo.

Ainda no Chókwè, há registo de contaminação de solos no regadio de Quimijera. Na província do Niassa, Samson Cuamba disse haver indícios de contaminação de solos no recinto da Direcção Provincial da Saúde.

No Porto de Nacala, segundo a fonte, foram descobertos dois contentores de 40 pés cada, carregados de pesticidas obsoletos, enquanto em Sofala, na região de Lamego e entre Tica e Nhamatanda, há solos contaminados nas antigas instalações da Entreposto Comercial, devido à deposição descontrolada de cerca de três toneladas de pesticidas.

Para dar seguimento a esta iniciativa que surge, ao abrigo do Projecto de Prevenção e Mitigação da Acumulação de Pesticidas Obsoletos, lançado no ano passado Cuamba apontou que existem duas opções para o destino a dar aos solos contaminados, qualquer delas dependente dos resultados da avaliação em perspectiva.

A primeira será tratar os solos no local até atingirem níveis de risco zero e a outra opção é a remoção dos solos e transportá-los para outros locais, que tanto pode ser para exportação ou para depósito.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!