Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Polícia suspende buscas de menor desaparecido há mais de um ano em Nampula

Polícia suspende buscas de menor desaparecido há mais de um ano em Nampula

A Polícia da República de Moçambique (PRM) suspendeu as buscas de um menor identificado pelo nome de Yannick Belmonte Macedo, que desapareceu da casa dos país, a 15 de Julho de 2013, na unidade comunal Mutotope, no bairro de Muahivire, na cidade de Nampula, na altura, com um ano e nove meses de vida. Pede-se a quem souber do paradeiro do miúdo para que contacte, urgentemente, os seus progenitores pelo número 84 389 083 1.

Volvido mais de um ano sem nenhuma pista sobre o paradeiro do petiz, a família continua destroçada e evita falar sobre o assunto para não trazer de novo à memória fortes emoções. Yannick Macedo sumiu por volta das 16h00 daquele dia, numa altura em que estava sob protecção de alguém da confiança dos seus pais, que se encontram no trabalho.

A mãe do menor, Latifa Belmonte, teria dito ao @Verdade que temia que o pior acontece com o menino, uma vez que na sociedade pululam indivíduos de má-fé. Ela chegou a receber vários telefonemas e mensagens de pessoas que alegavam ter encontrado o seu filho mas quando tentava localizá-las os números através dos quais recebia tais informações estavam fora de serviço.

Três dias depois do desaparecimento de Yannick, a Polícia de Investigação Criminal (PIC) começou a investigar o caso mas nada foi apurado sobre o lugar onde a criança pode estar. Enquanto isso, os parentes veiculavam anúncios nas rádios locais e afixam panfletos com a imagem do petiz em diversos sítios de Nampula. O esforço foi também em vão.

Um mês depois do sumiço de Yannick, Miguel Bartolomeu, do Comando Provincial da PRM em Nampula, disse-nos que havia fortes suspeitas de envolvimento de um indivíduo cujo nome não revelou, o qual era vizinho dos pais do menor. O visado, ainda de acordo com o agente da Lei e Ordem, tinha sido visto algures no distrito de Mossuril e não foi preso em resultado de ter fugido logo que se apercebeu do esquema montado para detê-lo. Para justificar o seu fracasso, a Polícia alegou que houve fuga de informação relativamente à “emboscada”.

Esta semana, a nossa Reportagem contactou novamente Miguel Bartolomeu para obter novos dados em relação ao suposto rapto. Ele explicou que o caso ainda não está esclarecido. Yannick ainda não voltou ao convívio familiar.

As buscas foram suspensas, afirmou a autoridade policial, acrescentando que não há provas mas se suspeita de que o menino foi raptado por um cidadão estrangeiro, o qual mantinha uma relação próxima com o pai da vítima, num acto com contornos de ajuste de contas. Neste momento, o processo está a ser tratado pelo Ministério Público, que ainda não se pronunciou sobre o mesmo.

Relativamente ao outro caso, em que uma menina que responde pelo nome de Cidália Adelino, de dois anos de idade (à data dos factos), desapareceu da casa dos pais por volta das 17h00, no mesmo mês, na unidade comunal Teacane, no bairro de Natikiri), em Nampula, a Polícia diz que ela foi localizada.

Miguel Bartolomeu disse que a petiza foi encontrada no distrito de Mecubúri. Uma vizinha dos pais da vítima levou a criança para aquele ponto do território moçambicano para fins não confessados. A presumível raptora foi detida e caso está a seguir os trâmites legais no Ministério Público.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!