Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Polícia mata um idoso em Lichinga

Um cidadão de terceira idade, cujo nome não nos foi revelado, perdeu a vida na manhã de quinta-feira (12), na cidade de Lichinga, província do Niassa, vítima de alvejamento por um agente da Polícia da República de Moçambique (PRM), supostamente porque não trazia consigo o bilhete de identidade e a licença da bicicleta nova na qual se fazia transportar. Várias pessoas ficaram feridas em resultado de uma confusão que se gerou logo após o acontecimento. O caso deu-se no bairro de Chuaula.

O acto descrito como bárbaro por populares, que desencadearam uma acção violenta em repúdio ao aniquilamento alegadamente deliberado, aconteceu nas imediações da 2a esquadra da PRM.

Um cidadão identificado pelo nome de Santos António, que testemunhou a ocorrência, disse que a vítima levava na bicicleta uma quantidade não especificada de banana, que pretendia vender num mercado sito em Chuaula.

Consta que o agente da Lei e Ordem, cujo nome também não apurámos, disparou três tiros contra o idoso depois de ter exigido que este apresentasse a sua documentação pessoal, o que não foi possível porque o idoso não a tinha consigo. O polícia, segundo Santos António, ameaçou o ancião mas este não se deixou intimidar e continuou a viagem na sua bicicleta. Foi esta atitude do idoso que parece ter deixado o polícia com os nervosos à flor da pele, tendo atirado contra a vítima, atingindo-a na coluna vertebral.

A população revoltou-se. Gerou-se um ambiente de tumultos defronte da esquadra, o que levou a PRM a disparar vários tiros para o ar como forma de dispersar a multidão e amainar os ânimos.

O método usado pela Polícia para repor a ordem naquele sítio não surtiu efeito, porque os disparos geraram um confronto entre a PRM e a população, que usava pedras para se defender. Houve dezenas de feridos em consequência deste pandemónio, de acordo com outra testemunha que responde pelo nome de Milton Maurício.

O cidadão disse que a multidão arrancou a arma que estava na posse do polícia e disparou dois tiros contra ele, tendo este contraído ferimentos e estando internado, neste momento, no Hospital Provincial de Lichinga, onde se encontram outras pessoas que ficaram também lesionadas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!