Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Polícia detém dois presumíveis assassinos da jovem Sara Dinis

O Porta- Voz do Comando Provincial da PRM em Sofala, Mateus Mazive, confirmou ao nosso jornal a detenção de dois indivíduos indiciados de envolvimento directo no assassinato da jovem Sara Dinis, de 19 anos de idade, encontrada morta e atirada numa machamba no décimo nono bairro, Manga-Mascarenha, arredores da Cidade da Beira.

Trata- se de José Meque Maias e Maurício Fonseca, de 25 e 20 anos respectivamente. Ambos são residentes no mesmo bairro e fazem parte do corpo de policiamento comunitário ao nível daquela zona residencial. A jovem Sara Dinis antes da sua morte terá sido violada sexualmente, numa acção, segundo a Polícia, protagonizada pelos dois indivíduos ora detidos os quais já confessaram a prática do acto macabro. De acordo com Mateus Mazive, a neutralização dos dois indivíduos, volvido mais de um de mês após o assassinato da jovem Sara Dinis, foi graças ao envolvimento de populares locais, os quais surpreenderam a dupla a violar sexualmente uma outra jovem menor de 16 anos, cuja identidade por questões mortais a Polícia defende a sua omissão.

 

Consta que a ultima jovem e estudante do curso nocturno e no momento em que caiu na malha dos malfeitores regressava da escola. José Meque Maia e Maurício Fonseca na altura usavam a capa de Polícia Comunitária, tendo exigido documentação da jovem e porque esta não possuía aproveitaram-se do facto para priva-la e passaram a noite a circular com ela ate que encontraram um lugar escuro onde começaram a violala. Depois de violar a moça protagonizaram a ingenuidade de acompanha-la a sua residência, onde a jovem aproveitou denuncia-los. De seguida José Meque Maia e Maurício Fonseca foram fortemente espancados pela população que posteriormente os conduziu a esquadra da Polícia da Brigada Montada na Manga, onde foram detidos . Na zona da Manga-Mascarenha já são vários os casos dessa natureza que envolvem membros de policiam ento comunitário.

Em relação a dupla Maia e Fonseca consta que ambos possuem cadastro de má conduta, sobretudo por terem sido surpreendidos várias vezes a violarem sexualmente mulheres durante o patrulhamento. Consta que eles sempre se aproveitaram do facto de algumas mulheres circularem sem documento de identificação, as quais os criminosos tem forçado relações sexuais como direito para sua libertação. O Porta-Voz do Comando Provincial da PRM em Sofala referiu ao nosso jornal que José Meque Maia e Maurício Fonseca vão responder para além do crime de homicídio voluntário contra a jovem Sara Dinis, igualmente pela pratica de vários crimes relacionados com a violação sexual de mulheres e menores de idade. Populares exigem apresentação pública dos criminosos.

Revoltados com a situação, os populares residentes no décimo nono bairro, Manga-Mascarrenha, exigiram as autoridades policiais que os dois indivíduos implicados no caso de violação de mulheres e assassinato da jovem Sara Dinis sejam apresentado publicamente. A apresentação pública da dupla, segundo defenderam alguns residentes locais, serviria para que sejam reconhecidos o que permitiria maior vigilância popular sobre eles. Outros ainda defendem ser imperiosa a sua apresentação pública para facilitar a sua neutralização caso fujam da cadeia.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!