Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Piloto de acidente com avião da Lion Air sentiu-se arrastado do céu

O piloto do avião que caiu no mar na Indonésia ao tentar pousar em Bali tem relatado que se sentiu “arrastado” para baixo pelo vento enquanto lutava para recuperar o controle, disse uma pessoa familiarizada com o assunto.

Todos os 108 passageiros e tripulantes sobreviveram milagrosamente quando o avião de passageiros Boeing 737, operado pela companhia aérea indonésia de baixo custo Lion Air, errou a pista de pouso principal do aeroporto na ilha turística e caiu de barriga na água, Sábado (13).

As autoridades salientaram que é muito cedo para dizer o que causou o acidente, que está a ser investigado por autoridades indonésias com a ajuda de investigadores dos EUA e da Boeing.

Mas os interrogatórios iniciais, comentários de testemunhas e boletins meteorológicos chamaram a atenção para a possibilidade de um “wind shear” (“gradiente de vento”) ou uma corrente descendente de nuvens de tempestade conhecida como “microburst”.

De acordo com os relatos iniciais do piloto, cujos detalhes foram descritos à Reuters, o voo JT-904 estava numa aproximação ao leste do aeroporto Ngurah Rai, em Bali, no meio da tarde de Sábado, depois de um voo normal a partir de Bandung, na Java Ocidental.

Quando o avião da Lion Air se aproximava da terra, com um avião da companhia Garuda logo atrás e outra aeronave prestes a decolar da pista à frente, o co-piloto perdeu a visão da pista com uma forte chuva a atravessar o pára-brisa. O capitão, um cidadão indonésio com experiência de cerca de 15 mil horas de voo e licença de instrutor, então assumiu o controle manual.

Entre 122 e 61 metros, os pilotos descreveram voar através de uma confusão de chuvas fortes, segundo a fonte. Pesadas chuvas localizadas que temporariamente reduzem a visibilidade não são incomuns nos trópicos, mas a baixa altura da aeronave significa que a tripulação teve pouco tempo para reagir.

Sem a visão da pista, de acordo com esse relato, o capitão decidiu abortar a aterragem e realizar um “go around”, uma manobra de rotina para qual todos os pilotos são bem treinados. Mas o capitão disse às autoridades que em vez de subir, o 737 novo em folha começou a embicar para baixo incontrolavelmente.

A partir dos 70 metros, mesmo rotinas bem ensaiadas desenrolam rapidamente. “O capitão disse que pretendia dar a volta, mas sentiu o avião a ser arrastado pelo vento; É por isso que caiu no mar”, disse a fonte, que foi informada sobre o testemunho da tripulação.

“Havia chuva a vir de leste para o oeste, muito pesada”, disse a fonte, pedindo para não ser identificada porque ninguém está autorizado a falar publicamente sobre a investigação em curso.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!