Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

ONG manifesta-se contra impunidade de supostos esclavagistas na Mauritânia

Dezenas de militantes da Iniciativa de Ressurgimento do Movimento Abolicionista (IRA), uma Organização não Governamental antiesclavagista, manifestaram-se, Domingo (14), diante do Ministério mauritano da Justiça, em Nouakchott, para denunciar “a impunidade de que gozam vários esclavagistas detidos e depois libertos durante o período de Março a Abril”, constatou a PANA no local.

Hamady Ould Lehbouss, alto responsável da IRA, citou, entre os indivíduos acusados de práticas esclavagistas detidos e depois libertos, os nomes de Rahman Mint Legreyvi, Mohamed Salem Ould Mohamedou e Ehel Behdel e, entre as presumíveis vítimas, os de Youma Mint Salma e membros da sua família, Issa Ould Moussa, e M’Barka Vall.

Ele denuncia ainda a criação recente de uma Agência Nacional encarregue da luta contra as sequelas da escravatura, Inserção e Luta contra a Pobreza como «uma manobra dilatória do Governo para desviar a atenção da opinião pública nacional e internacional da verdadeira natureza das práticas esclavagistas no país».

A prática da escravatura é classificada como uma infração criminal na Mauritânia por uma lei adotada em agosto de 2007.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!