Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Petróleo volta a subir em NY graças a bons indicadores nos EUA

Os preços do petróleo voltaram a crescer nesta terça-feira em Nova York após duas sessões de queda, graças a indicadores econômicos positivos nos Estados Unidos que alimentaram a ideia de uma recuperação da actividade.

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de “light sweet” para entrega em Outubro subiu 2,07 dólares em relação ao pregão de segunda-feira, encerrando a 70,93 dólares. Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte com igual vencimento perdeu nove centavos, encerrando a 67,35 dólares.

“Demanda em alta, oferta em baixa: parece que os fundamentais empurraram os preços para cima”, comentou Jason Schenker, da Prestige Economics. Os indicadores econômicos desta terça-feira alimentaram as esperanças de uma retomada do consumo de petróleo nos Estados Unidos.

Na frente do consumidor, as vendas no varejo ganharam 2,7% em relação a julho, superando as expectativas. Além disso, a actividade industrial em torno de Nova York continuou a crescer em Setembro, de acordo com o indicador Empire State. O presidente do Banco Central Americano (Federal Reserve), Ben Bernanke, estimou que a recessão está “muito provavelmente terminada” nos Estados Unidos.

“Estes indicadores empurraram os preços para cima, pois mostraram que existe um maior potencial de crescimento. Ao mesmo tempo, há expectativas de uma nova queda dos estoques de bruto”, comentou Schenker. O Departamento americano da Energia vai publicar quarta-feira, às 11H30 de Brasília, suas estatísticas semanais sobre as reservas petrolíferas.

Segundo um primeiro estudo realizado com os analistas pelo Dow Jones Newswires, os estoques de bruto teriam registrado uma queda de 2,4 milhões de barris na semana passada, mas este declínio seria compensado por um aumento de 500.000 barris das reservas de gasolina.

Os preços aumentaram mais ainda no fim da sessão devido ao forte enfraquecimento do dólar, que atingiu seu nível mais baixo deste ano em relação ao euro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!