Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Perto de 30 pessoas mortas em mais uma semana sangrenta nas estradas moçambicanas

Pelo menos 28 pessoas morreram e 49 ficaram feridas, 22 das quais com gravidade, em consequência de 36 acidentes de viação registados entre 23 e 29 de Abril último, em diferentes estradas moçambicanas, sendo que o grosso deles resultaram do excesso de velocidade e da condução sob o efeito de álcool. Foi uma semana igual a tantas outras, de carnificina.

Em igual período do ano passado, houve 43 sinistros rodoviários que resultaram em 27 óbitos, 38 feridos graves e 52 ligeiros.

Os crimes rodoviários têm sido dos que menos atenção parece merecer por parte das autoridades, sobretudo policiais, no que tange à responsabilização, uma vez que quase que não se conhece, publicamente, nenhum condutor apresentado à imprensa – conforme ocorre com alguns homicidas – ou levado à barra de justiça por ter causado um acidente, particularmente mortal como da madrugada de 04 de Abril passado.

Naquela data, 16 cidadãos pereceram quando um autocarro de passageiros, que fazia o trajecto Vilankulo/Maputo, embateu violentamente contra um camião que transportava troncos de madeira, na circunstância estacionado na berma da estrada por conta de uma avaria, na localidade de Mavanza, no distrito de Vilankulo, província de Inhambane.

Inácio Dina, porta-voz do Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM), disse na última semana de Abril passado os atropelamentos, em número de 16, voltaram a causar mais vítimas, seguidos de seis choques entre carros, quatro colisões entre viaturas e motorizadas, igual número de choques contra obstáculos fixos.

A 21 de Abril, um condutor de minibus embebedou-se, fez-se ao volante, excedeu a velocidade e matou 14 pessoas no posto administrativo de Metoro, no distrito de Ancuabe, província de em Cabo Delgado.

Outras sete ficaram feridas devido à negligência do automobilista da referida viatura com a matrícula AFF 711 MC. Ao todo, 30 pessoas morreram em 17 dias, podendo o número ser superior se tomarmos em conta que há acidentes de viação que não chegam ao conhecimento da Polícia.

Relativamente a este tipo de delito, o que se sabe, concernente à punição, são detenções dos condutores envolvidos e abertura de autos criminais, segundo os relatos policiais, mas os passos subsequentes que impliquem o ressarcimento das vítimas ou das famílias de perecidos não são mais conhecidos ao pormenor.

Dos 36 acidentes de viação ocorridos entre 23 e 29 de Abril passado, pelo menos 20 foram devido ao excesso de velocidade, quatro por condução em estado de embriaguez, cinco por má travessia de peões e outros por demais violações das normais impostas pelo Código da Estrada. Estes acidentes ocorreram maioritariamente das 18h00 às 21h00, sendo as estradas nacionais número um e seis as que mais tragédias registaram.

A Polícia de Trânsito fiscalizou 34.524 viaturas, das quais 79 confiscadas, mais perto de cinco mil multas impostas e 17 pessoas por condução ilegal.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!